Professora de Piancó faz homenagem ao escritor Saulo Mendonça e tem texto publicado no Jornal Correio da Paraíba

Professora de Piancó faz homenagem ao escritor Saulo Mendonça e tem texto publicado no Jornal Correio da Paraíba

Saulo Mendonça e a essência do Haicai

 

Mal começa e já termina. Mesmo assim, a poesia haicai de Saulo Mendonça, como todo haicai pode nos deixa pensando por horas e horas, de tanto que tem a dizer.

A forma curta da poesia haicai tem mais uma vantagem: faz com que o texto seja ideal para ser lido por crianças, seja as que estão ainda aprendendo a ler as primeiras palavras ou as que dominam a leitura e têm capacidade para debruçar-se sobre os diferentes significados da poesia. Não é à toa que, atualmente, tantos livros de haicai são lançados para o público infantil.

A poesia haicai de Saulo Mendonça como todo haicai captura a essência do momento. É um flash, um instante... Para apreciar esse gênero é preciso sensibilidade. A sutiliza de seus três versos que contam, em poucas palavras, o sentimento do haijin (poeta) frente a diversos desdobramentos da natureza. É assim também que acontece com a poesia de Saulo Mendonça.

Saulo Mendonça escreve como se esquecesse de sí mesmo ao olhar uma flor, uma estrela, um gato, uma gota de orvalho caindo na ponta de uma folha. Ou mesmo de um dia chuvoso ou ensolarado. Ele escreve como se não estivesse ali nem de mente nem de corpo, só de alma. E ao mesmo tempo ele está envolvido com cada coisa que olha. Como se ele e a coisa olhada fossem únicos, ou seja, um só. Saulo Mendonça é um haijin que enxerga além do óbvio. Olha para onde tudo, simplesmente existe.

 

Olhar de inverno.

De biqueira corre a chuva

Restos de infância

                                                            Saulo Mendonça

 

 

A poesia haicai de Saulo Mendonça estabelece uma ligação com a natureza, e essa ligação está intrínseca em nós à medida que necessitamos voltar os nossos olhos para ela, isto é, estabelecer uma conexão com as nossas essências. O haicai de Saulo Mendonça é uma arte apaixonante, tanto para quem aprecia e tenta captar o sentimento do poeta. Saulo se aventura na busca da palavra certa e indispensável para transmitir o que deseja.

A poesia de Saulo Mendonça é uma janela aberta que faz o olhar viajar. É uma dualidade entre a palavra e a imagem. Sua poesia, Saulo, não deixa nada a desejar ao estilo pioneiro de Paulo Leminski, Afrânio Peixoto, Guilherme de Almeida, Olga Savary entre outros. A poesia de Saulo Mendonça constitui a preciosidade deste gênero tão singular e preciso que é o haicai.

 

 

Branca Claudino de Mesquita

(Professora)

 

 

 

Vale News PB