Em Itaporanga, trabalhador pede auxílio emergencial e descobre que é vereador

Em Itaporanga, trabalhador pede auxílio emergencial e descobre que é vereador

O trabalhador rural Sebastião Pereira de Sousa, que é agricultor familiar e está enquadrado nos critérios para o recebimento do auxílio emergencial do governo, requereu o benefício e esperava ser aprovado, mas a resposta que o sistema de análise deu ao seu pedido causou surpresa tanto quanto indignação ao trabalhador.

Morador do sítio Riacho do Saquinho, município de Itaporanga,Sebastião Pereira consta como “cidadão exerce mandato eletivo”, ou seja, para o sistema o agricultor é um parlamentar mirim e, por isso, teve o seu pedido de auxílio negado.

Precisando da ajuda governamental, o agricultor familiar critica o sistema do governo pela incapacidade de uma análise real de sua condição de trabalho e renda, e revolta-se por saber que foi prejudicado por um erro do próprio governo.

Sebastião diz que foi candidato a vereador no pleito de 2016, mas tirou apenas 10 votos, ou seja, não foi eleito. “Eu vejo tanta gente aí que tem dinheiro, pode dizer até que é rica, e recebeu esse auxílio, enquanto eu que preciso não tenho acesso”, lamentou.

 

 

 

 

 

Folha do Vale