Coordenador do Gaeco vê “ataque orquestrado” contra Lava Jato

Coordenador do Gaeco vê “ataque orquestrado” contra Lava Jato

Comparado muitas vezes com o procurador da República, Deltan Dallagnol, o coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado) na Paraíba, Octávio Paulo Neto, saiu em defesa do responsável pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, que teve conversas com o então juiz Sérgio Moro vazadas em reportagem do site “The Intercept Brasil” sobre o andamento da operação.

Ao Portal MaisPB, Octávio considerou Dallagnol como “homem de bem” e “ícone de uma geração que se move por um propósito maior”.

“Deltan é um ícone de uma geração que se move por um propósito maior. Ele é um homem de bem, porém, cada um tem e carrega consigo uma singularidade. Deus nos fez únicos, logo podendo sermos diferentes, jamais seremos iguais. Cada um é cada um, com suas histórias e trajetórias”, disse sobre as comparações com Dallagnol.

Responsável por operações de alta relevância na Paraíba, a exemplo da Xeque-Mate e Calvário, Octávio viu a reportagem do site “The Intercept Brasil”, que compromete a imparcialidade da operação Lava Jato, como “ataque orquestrado” contra estruturas do Estado que combatem a corrupção.

“Não me compete qualquer juízo de valor sobre esses fatos, só posso me pronunciar sobre algo que eu conheça em toda sua extensão, porém é natural esses ataques as estruturas de Estado que lutam contra a corrupção sistêmica, me parece que esse ataque é algo muito bem orquestrado, porém é preciso se aferir a autenticidade e a integralidade”.

 

 

Maurílio Júnior – MaisPB