Anísio Maia diz que TSE faz “vista grossa” quando o assunto é a campanha de Bolsonaro

Anísio Maia diz que TSE faz “vista grossa” quando o assunto é a campanha de Bolsonaro

O deputado estadual Anísio Maia (PT), criticou nesta sexta-feira, 19, o silêncio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre as denúncias publicadas pela Folha de São Paulo de que a campanha do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) teria sido beneficiada com a compra ilegal de pacotes de milhões de mensagens com informações falsas via WhatsApp. O TSE adiou para domingo a entrevista coletiva, inicialmente marcada para a tarde de hoje, para tratar do assunto.

“A campanha de Bolsonaro foi flagrada cometendo pelo menos dois crimes. O primeiro é o crime de Caixa 2, com mais de R$ 12 milhões usados de maneira ilícita. O segundo é a proliferação de mentiras para prejudicar o adversário, prática explicitamente vedada pelo Artigo 222 do Código Eleitoral. Se a Justiça Eleitoral permitir que esta candidatura participe do pleito, teremos o total escárnio das instituições brasileiras”, disparou.

Desde a vitória do Donald Trump, nos Estados Unidos, as redes sociais passaram a ser usadas para proliferação de mentiras, as chamadas Fake News, com o propósito de influenciar as eleições. Segundo o parlamentar, no caso da candidatura de Bolsonaro há um agravante, já que no aplicativo WhatsApp as mensagens são criptografadas e isso facilita este tipo de conduta.

“Como é possível aceitar uma eleição presidencial na qual um dos lados tem toda a sua campanha baseada em mentiras? Aliás, a campanha de Bolsonaro além de mentir é covarde, porque tem medo de enfrentar Fernando Haddad em um debate. A verdade é que Bolsonaro representa a continuidade de todas as políticas de Temer, só que com viés autoritário, por isso conta com a cumplicidade da grande imprensa e de setores do aparato estatal”, disse o parlamentar.

O petista acrescentou que, nestas eleições, a liberdade de expressão já está tolhida para milhões de pessoas constrangidas pela onda de violência promovida pela campanha de Bolsonaro, e que o país não se reencontrará com o uso de mentiras, violência e crimes eleitorais, todos praticados à luz do dia.

“O TSE vem fazendo ‘vista grossa’ para a onda de violência no processo eleitoral. Com o escândalo do Caixa 2 de Bolsonaro, precisa tomar providencias urgentes sob risco de não podermos mais dizer que há democracia no Brasil. O próprio WhatsApp já identificou e bloqueou diversas contas, entre elas, a de Flávio Bolsonaro, filho do presidenciável, que proliferava mentiras em milhares de grupos. Não se trata de defender o PT, mas, de defender a democracia e o pacto civilizatório em nosso país”, finalizou Anísio Maia.

 

 

Parlamento PB