Wilson Santiago diz que PTB não definiu entendimento, apesar de votos contra Dilma

Wilson Santiago diz que PTB não definiu entendimento, apesar de votos contra Dilma

Apesar de os três representantes do PTB na Comissão do Impeachment da Câmara Federal terem sido favoráveis à abertura do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff, o dirigente paraibano do partido, Wilson Santiago, afirmou em entrevista ao ClickPB nesta terça-feira (12) que o partido ainda não definiu um entendimento sobre o assunto.

De acordo com ele, ainda amanhã a bancada deve se reunir para discutir o assunto e na próxima quinta-feira (14) haverá reunião do partido “que é quando vai sair o posicionamento”. O ex-senador aponta que há opiniões tanto contrárias quanto favoráveis ao processo de impeachment dentro do partido e que isso deve ser pacificado esta semana ainda. “Vem gente de todo o Brasil, a gente não sabe a posição dos demais”, destacou Wilson Santiago.

Wilson acredita que a publicação da documentação completa referente ao processo, a acontecer ainda hoje ou amanhã, deve tornar os posicionamentos dos parlamentares mais claros. “Nenhum parlamentar, com exceção da comissão recebeu o relatório geral de toda a documentação apresentada, que é o avulso. Então todo mundo vai ler para tomar posicionamento”, relatou o ex-senador que completou afirmando que “o avulso é que vai guiar a maioria das pessoas”.

“O partido vai ter uma posição e esta posição dará conhecimento a todo mundo. Depois de todo mundo tomar conhecimento cada um vai se posicionar”, explicou o petebista paraibano. Ele preferiu não revelar o seu posicionamento e disse que vai aguardar a decisão final. “Como eu não voto, a gente não pode nem estar emitindo posicionamento que não é eleitor”, ressaltou Santiago. Ele também não adiantou qual posicionamento será tomado pelo deputado federal Wilson Filho (PTB). O ex-senador, no entanto, acredita que até sexta-feira (15) todos externem suas posições, já que a votação do processo na Câmara é no domingo (17).

PSDB mantém posicionamento

O deputado paraibano Pedro Cunha Lima (PSDB) reiterou seu apoio ao processo de impeachment e defende punição para a corrupção. "O Brasil não é propriedade do PT. A democracia não se encerra no dia da eleição. Eleição é só começo. Quem faz o uso da coisa pública como o PT tem feito não serve à democracia. Também não acho que o impeachment resolverá tudo. Mas corrupção não se compensa e nem se compara, corrupção se pune", enfatizou o parlamentar.

O deputado acredita que a população está cobrando posicionamento de todos os membros do poder legislativo quanto ao processo. “O Congresso está tomado por fotos dos parlamentares contra, a favor e indecisos em relação ao afastamento de Dilma. O povo vem cobrando posição de nós deputados e devemos dar esta resposta à sociedade. Temos que dar um basta na corrupção e nesse desgoverno”, destaca Pedro Cunha Lima.

 

 

 

 

Click PB