Wilson Filho nega lavagem de dinheiro em compra de apartamento: 'investigados são os ex-donos'

Wilson Filho nega lavagem de dinheiro em compra de apartamento: 'investigados são os ex-donos'

O deputado federal, Wilson Filho (PTB), tentou esclarecer, em entrevista ao programa Rádio Verdade da Arapuan FM, nesta quinta-feira (8), a suposta participação em um esquema de lavagem de dinheiro com o presidente do Senado, Renan Calheiros.

O parlamentar começou afirmando que a matéria saiu duas semanas atrás e que não ganhou repercussão na mídia por ser ‘mentirosa’ e que gostaria de dar a versão ‘verdadeira’. “Como qualquer cidadão fiquei muito entristecido com a conotação dada pela imprensa como a compra de um apartamento em 2011, que eu comprei, paguei e declarei no meu imposto de renda, que foi licitamente comprado, como qualquer cidadão pode fazê-lo”, disse.

Wilson Filho jogou a responsabilidade por eventuais ilicitudes nos “ex-donos”, no caso Renan Calheiros. “Foi uma compra normal, quem estão sendo investigados são os ex-donos não tenho nada a ver com isso e se estão investigando alguma coisa não cabe a mim nada sobre isso”, apontou.

De acordo com o petebista, o apartamento foi comprado como investimento, mede pouco mais de 50m² e sequer foi entregue, por isso ele ficou surpreso com a conotação dada e chegou a acusar de ‘arrumação’ por ele ter tido o nome citado na pesquisa para prefeito da Capital. “Não sei se foi porque apareci nas pesquisas para prefeito, a pesquisa saiu agora e já apareceu isso...”, insinuou.

Filho negou qualquer ligação com o presidente do Senado, embora Calheiros tenha sido mencionado como uma influência para a indicação do pai do deputado, o ex-senador Wilson Santiago, ao cargo no Banco do Brasil e também se defendeu da acusação de lavagem de dinheiro pelo fato de não ter sido apenas um, mas quatro apartamentos.

“Lavagem de dinheiro só se faz quando você não usa o seu dinheiro. Eu comprei, tenho comprovante que paguei, está declarado, quando quer fazer algo errado você não declara no imposto, quando descobre errado é dinheiro fora”, afirmou.

O parlamentar negou ligações com Calheiros apontando que também tem empresa de construção civil e que as pessoas que compram seus imóveis também não os conhecem.

“É uma matéria mentirosa estou entrando com processo judicial e os que repercutirem se não for dado direito de resposta também serão acionados”, garantiu.

O apartamento foi pago em duas parcelas de R$ 60 mil e o próprio Wilson Santiago deu versões diferentes da finalidade do imóvel, primeiro afirmou que seria para veraneio (sendo que ele fica a 15 km da praia), em seguida comentou que seria para investimento. Além disso, Santiago tem uma relação próxima a Calheiros que pode ter influenciado em sua indicação para o Banco do Brasil, porém Wilson Filho defendeu: “A função que ele assume foi devido a sua competência e graças à indicação do PTB”, concluiu. 

 

 


Marília Domingues