Walter Aguiar nega tentativa de despejar Rômulo: “fui a vice-governadoria só deixar uma cartilha sobre as eleições”

Walter Aguiar nega tentativa de despejar Rômulo: “fui a vice-governadoria só deixar uma cartilha sobre as eleições”

O secretário executivo da Casa Civil, Walter Aguiar, negou, nesta segunda-feira (07), que tenha ido à vice-governadoria, na semana passada, “tomar” as chaves do local para despejar o vice-governador Rômulo Gouveia (PSD), como denunciado pelo próprio Rômulo, na ultima quinta-feira (03). “Nunca foi de minha prática política este tipo de ação que a mim foi imputada. Não sou São Pedro para ter chave de lugar nenhum”, afirmou.
 

 Aguiar explicou que como é ordenador de despesas da vice-governadoria foi ao local entregar pessoalmente a Rômulo uma cartilha, lançada pelo Governo do Estado em 07 de junho, com orientações para todos os servidores de como agirem nas eleições estaduais deste ano. “Queremos ajudar a Justiça eleitoral que estas eleições sejam limpas. Estive lá, porque o vice-governador é candidato e pesa sobre ele algumas posições limitadas. Então, fui na vice governadoria levar esta cartilha e esclarecer, explicar pessoalmente ao vice-governador. No sou de levar recado”, declarou.
 

 O contratempo aconteceu após Rômulo romper politicamente com o governador Ricardo Coutinho (PSB). Após o rompimento, Ricardo exonerou todos os auxiliares de Rômulo lotados na vice-governadoria, mas o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) suspendeu as demissões. Walter Aguiar minimizou as exonerações e disse que o governador demitiu apenas servidores comissionados.  
 

 “Ricardo exonerou cargos comissionados. Quem exonera ou admite é o vice governador, o governador não iria deixar a vice-governador sem auxiliares, mas os funcionários que estão no governo tem que ser de confiança do governador. Aí o critério de quem é de confiança é cabe ao governador”, afirmou. 
 

 
Cristiano Teixeira - MaisPB