Vírus que preocupa o FBI chega ao Brasil, saiba como se proteger

Vírus que preocupa o FBI chega ao Brasil, saiba como se proteger

O perigoso vírus SAMAS bloqueia o acesso ao seu computador ou celular e cobra um valor de “resgate” para que o acesso possa ser restabelecido, chegou ao Brasil, e o Serviço de Inteligência dos Estados Unidos (FBI) já emitiu uma nota demonstrando preocupação sobre o vírus.

Desde março o SAMAS é grande perigo das ameças virtuais, seu primeiro grande alvo foi a cadeia de hospitais americanos MedStar Health Inc, roubando e criptografando dados, como backup de arquivos e registros médicos, depois do ataque foi pedido um resgaste para que essas informações pudessem ser liberadas. Devido ao ataque os funcionários do hospital tiveram que realizar novos registros em papel.

O aviso do FBI diz que os autores da ameaça, também estão se aproveitando da habilidade do malware de ordenar uma infiltração persistente para “localizar e apagar manualmente” os backups de arquivo, forçando assim a vítima a pagar ou arcar com o prejuízo da perda de dados críticos para a empresa.

Em 2015 o FBI disse que recebeu 2,5 mil queixas relacionadas a ataques de ransoware, totalizando cerca de US$ 24 milhões em perdas, para os que sofreram problemas com essa ameaça.

Mas a propagação do vírus depende de uma ação humana para que entre em ação. Então tenha muito cuiado, e não abra aquivos que não sabe a fonte e nunca clique em mensagens estranhas. Os criminosos colocam o vírus em emails falsos, como promoções de lojas virtuais e comunicados de bancos. Tome cuidado também com mensagens de amigos e familiares que não fazem sentido, pois eles podem ter sido alvos de ataques virtuais.

Essas dicas parecem manjadas, mas de acordo com um relatório divulgado pela Verizon, no ano passado 30% das pessoas abriram mensagens assim e 13% dessas pessoas também abriram o anexo que acompanhava a mensagem.

Outras dicas para você ficar seguro :

Faça backup regularmente – Use um hd externo ou faça um backup em nuvem

Atenção ao nome dos arquivos – Os vírus costumam ter extensões específicas (as três letras finais que vêm após o nome do documento). Fique atento a .EXE, .vbs e .SCR, que são as mais utilizadas pelos cibercriminosos. E se você desconfia do anexo, mesmo sendo outra extenção como PDF, não abra.

– Deixe sempre seu Antivirus atualizado

Então fique atento para não perder suas fotos, arquivos e sua vida digital.

 

 

 

 

Mundo Conectado