Vice-presidente volta a defender reunificação do país se referindo a crise política

Vice-presidente volta a defender reunificação do país se referindo a crise política

O vice-presidente da República, Michel Temer, esteve neste sábado (24) em Belo Horizonte para a convenção estadual do PMDB. Temer disse, durante seu discurso, que “temos que reunificar o país”, se referindo à crise política entre o governo da presidente Dilma Rousseff e o Congresso Nacional. Na convenção, o vice-governador de Minas Gerais, Antônio Andrade, foi reeleito presidente estadual da legenda.

Nos últimos meses, o Planalto tem tentado reunificar a base aliada, da qual o PMDB faz parte, e articula a manutenção dos vetos de Dilma à chamada “pauta-bomba”, que, em meio a medidas do governo para reduzir gastos, elevam as despesas da União.

Além disso, o PMDB fará uma convenção nacional no ano que vem, na qual o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, defende o rompimento da legenda com o governo petista.

Em sua fala neste sábado (24), o vice-presidente voltou a defender a reunificação do país. “Temos que reunificar o país, temos que pacificar o país, temos que ter harmonia no país. Nós precisamos acabar com eventuais divergências entre brasileiros”.

Em agosto deste ano, o vice-presidente convocou jornalistas ao seu gabinete no Palácio do Planalto para uma entrevista na qual disse que a situação política do país era “grave” e que o Brasil precisava de alguém que o reunificasse.

À época, as declarações do peemedebista repercutiram entre as lideranças políticas. Um ministro chegou a dizer ao G1 que a fala era de alguém que estava “cansado” do chamado “varejo político”. Segundo o Blog da Cristiana Lôbo, outras declarações de Temer já causaram “perplexidade” entre os auxiliares mais próximos da presidente Dilma.

Na convenção deste sábado, estiveram presentes o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Adalclever Lopes, o ex-governador Newton Cardoso, o ex-ministro e presidente da Fundação Ulysses Guimarães, deputados, prefeitos e políticos do PMDB e de outros partidos aliados.

 

 

 

G1