Vice acusa prefeito de não pagar salários há nove meses e rompe politicamente na PB

Vice acusa prefeito de não pagar salários há nove meses e rompe politicamente na PB

Cortes, funcionários com salários atrasados há nove meses, não pagamento do salário de dezembro e 13º salário aos comissionados e contratados em 2014 e previsão da mesma situação neste ano, além de um "profundo caos administrativo”. Esses são alguns dos motivos alegados por Thiago de Azulão (PTB), vice prefeito do município de Poço Dantas, no Sertão paraibano, para o rompimento político com o atual prefeito municipal, José Gurgel, conhecido como Dedé de Zé Cândido (PTB).

 

Segundo Thiago, a falta de espaço na administração e os questionamentos sobre aplicação dos recursos municipais também geraram divergência entre ele e o prefeito.

“Sempre fomos excluídos e nunca participamos de nada da administração. A forma como ele conduz o trabalho é equivocada e o pensamento é apenas em si mesmo. O dinheiro da prefeitura ninguém sabe para onde vai”, afirmou o vice prefeito.

A falta de controle administrativo, de acordo com o vice prefeito, estaria afetando a economia local, deixando o comércio sem alternativa e os servidores sem esperança.

“O comércio está com pagamentos atrasados por parte da prefeitura. Servidores estão vivendo a mesma situação que em 2014, com ameaça de não pagamento dos salários de dezembro e do 13º. Tem gente trabalhando na prefeitura com salários atrasados a cerca de oito ou nove meses. Com isso, resolvemos romper e buscar outro caminho para o município”, contou Thiago.

Procurado pelo Portal Correio, o prefeito Dedé de Zé Cândido disse que só vai se posicionar sobre o assunto na sexta-feira (30). 

 

 

Fonte: Por Halan Azevedo