Vereador do PT defende agressão contra mulheres e gera revolta nas redes

Vereador do PT defende agressão contra mulheres e gera revolta nas redes

A afirmação do vereador Marcelo André (PT), reeleito emParaibuna (SP), defendendo agressão a mulheres gerou revolta na web. Na publicação, em resposta a um ataque em que era acusado de responder processo por bater em mulher, ele argumentou que ‘umas que merecem por não dar educação a seus filhos’. (leia acima)Procurado pelo G1, ele informou que a postagem foi equivocada. (leia mais abaixo)

O print que circula nas redes sociais mostra uma discussão, a partir de uma postagem em que Marcelo ironiza a oposição. A publicação é da última segunda-feira (3).

Em resposta, um internauta questiona se o vereador responde processo na Justiça. Na resposta, Marcelo responde que ‘bater em mulher nunca respondi’, mas completa defendendo que algumas mulheres merecem apanhar.

A publicação tem mais de 200 comentários e 50 compartilhamentos. Uma internauta, indignada com a publicação comenta “Em hipótese alguma uma mulher merece apanhar, quanto mais por causa das atitudes de outro homem. Não tem justificativa”, diz trecho de comentário.

Marcelo André (PT) foi o vereador mais votado de Paraibuna, com 814 votos. Em 2017 ele vai dar início ao segundo mandato.

Após  a repercussão negativa do post, ele fez uma postagem alegando que ‘os 814 votos que o povo em mim depositaram afetou o celebro (sic) de alguns. Logo um dia depois teve um menino que deve ser parente de um desses que estão com a boca na teta. Ficou me atacando, dizendo que eu tenho processo por bater em mulher, coisa que não é verdade’, publicou em sua página.

Outro lado

Em entrevista ao G1 o vereador justificou que a postagem foi feita em um momento de raiva e que admite que a colocação foi inadequada. “Eu respondo a um processo por desacato a uma secretária e a alegação contra mim era infundada. Com a cabeça quente, não pensei bem na forma como me coloquei. Sei que dei a entender que algumas mulheres mereciam apanhar, mas não era essa a conotação que queria dar”, afirmou.

O parlamentar ainda reiterou que é contra a agressão a mulheres e a incitação ao ódio por gênero. “Eu reafirmo, minha opinião pessoal é de que nenhuma mulher merece ser agredida. Eu peço desculpas por como me coloquei. Respondi a quem me atacava e acabei sendo mal interpretado”, disse.

 

 

G1