Veneziano diz que trabalha para atrair PSC e PR

Veneziano diz que trabalha para atrair PSC e PR
O pré-candidato a governador da Paraíba nas Eleições 2014, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) afirmou neste final de semana, durante entrevista concedida em Campina Grande, que está em entendimentos com lideranças petistas para, juntos, PMDB e PT, atrair outras legendas à coligação, buscando fortalecer a sua pré-candidatura a governador e a de Lucélio Cartaxo (PT) a Senador.
 
Segundo Veneziano, os entendimentos estão sendo feitos com o PSC, do deputado federal Leonardo Gadelha; e com o PR, do deputado federal Wellington Roberto. “Nosso propósito é o de ampliar com a presença de outras legendas”, disse Veneziano, ao dizer que as conversas também estão sendo ampliadas para outros partidos, não apenas PSC e PR.
 
De acordo com o pré-candidato peemedebista, caso os entendimentos não prosperem o PMDB dispõe de nomes para compor a vice, a exemplo do ex-governador Roberto Paulino. Mas adiantou que esta hipótese só será efetivada caso PMDB e PT não fechem com outro partido, indicando o nome do vice da composição.
 
“O trabalho que a gente faz é um trabalho para tentar atrair o PSC, o PR ou uma outra legenda que disponha de um nome competitivo para integrar esse tripé de Governador, Vice-Governador e Senado da República. Caso isso não aconteça aí nós haveríamos de buscar nomes dentro do partido e, dentre os quais, temos opções como o próprio ex-governador Roberto Paulino. Mas a prioridade é de termos uma outra legenda compondo essa chapa com o PT”, afirmou o pré-candidato peemedebista.
 
Desprendimento de José Maranhão – Na entrevista, Veneziano lembrou que o PMDB sempre teve nomes fortes para compor a chapa majoritária, mas entende a necessidade de atrair outra legenda para o projeto de elegê-lo Governador. A prova maior é que o partido dispõe, atualmente, do melhor nome para o Senado, que é o do ex-governador e ex-senador José Maranhão, que num gesto de desprendimento político abre mão da candidatura a Senador em favor do fortalecimento da candidatura de Veneziano.
 
“Quando o ex-governador José Maranhão, desprendidamente, abriu mão de disputar o mandato do Senado, em que pese apresentar-se com um favoritismo indiscutível, até pelo próprio recall, ou seja, você tem uma candidatura e um nome que tem 50 anos de serviços prestados, já foi Governador, já foi Senador, enfim, Deputado Federal, a referência de José Maranhão para o Senado é uma referência muito forte. Por isso ele apresenta-se em quaisquer das aferições com 23, 24 e até 25 pontos percentuais. Mas ele teve um desprendimento de dizer: ‘olha se eu ocupar essa vaga nós estaremos criando dificuldade de atrair uma outra legenda’”, disse Veneziano.