Vené reafirma interesse em 2016: “Não estou pra brincadeira”

Vené reafirma interesse em 2016: “Não estou pra brincadeira”

Durante entrevista nesta segunda-feira (17), o deputado federal Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) mandou um recado aos seus opositores que, segundo ele, tentam, a todo o custo, tirá-lo da disputa. Veneziano disse que por mais que os seus opositores tentem fazer com que ele não seja candidato a prefeito de Campina no ano que vem, mais ele se sente estimulado a participar do pleito.

O parlamentar ratificou sua pré-candidatura e disse que não está pra brincadeira. “Não sou candidato de mim mesmo. Represento um grupo que não enxerga ações positivas por parte da atual administração do PSDB”, disse Veneziano, ao lembrar que a estratégia da oposição de tentar fazê-lo sair da disputa não prosperará. “Não se preocupem. Vai ter disputa. E eu estarei lá, esperando vocês, para compararmos as gestões”, disse.

Veneziano afirmou que a atual gestão de Campina não consegue sequer concluir obras que ele deixou em andamento. “Muitas com mais de 50% prontas, exemplo da UPA, da Praça do Esporte das Malvinas e a duplicação da Avenida Argemiro de Figueiredo, além de ter fechado seis cozinhas comunitárias e dois restaurantes populares”.

Indagado sobre as articulações com o PSB em apoiar seu nome para as eleições, Veneziano disse que todas as conversações com o Governador Ricardo Coutinho, com o deputado Adriano Galdino (presidente da Assembleia Legislativa) e com o presidente municipal do partido, Fábio Maia, foram amarradas no sentido de dar continuidade ao que foi iniciado com êxito na última campanha para o Governo do Estado.

“Meu dileto amigo, deputado Adriano Galdino, mantém a decisão de apoiar nosso nome e transferiu seu domicílio eleitoral para Campina estrategicamente. Ele só seria candidato a prefeito se o PMDB não tivesse um nome para disputar o Palácio do Bispo”, destacou Veneziano.

O pré-candidato pelo PMDB disse que por ter obtido mais de 33% dos votos válidos para deputado federal na cidade, nas eleições do ano passado, além do fato deter sido prefeito por oito anos, o credencia a disputar as eleições de 2016.

“Sei que o atual prefeito e seu grupo estão fazendo de tudo para que o PMDB não tenha candidato. Mais não irão conseguir. Terão que me enfrentar nas urnas. Iremos percorrer os bairros de Campina, um a um, e iremos constatar o que vemos atualmente, uma boa parcela dos campinenses não vendo inovação alguma no desgoverno do PSDB. Uma gestão que fechou o Hospital Pedro I, que serve apenas como apêndice para algumas cirurgias do Hospital de Trauma do Estado; alugou o Hospital Edgley Maciel e desativou o Centro de Psiquiatria e deve várias parcelas ao atual dono”, lamentou Veneziano.

Na mesma entrevista, ele disse ter recebido queixas de várias categorias sobre o mal funcionamento dos CAPS, dos Conselhos Tutelares, do desmantelamento da Guarda Civil, da UPA e do Samu, do corte de gratificações e não cumprimento dos PCCRs.

 

 

MaisPB