Vendas de carros caem 25% no ano, e registram pior semestre desde 2006

Vendas de carros caem 25% no ano, e registram pior semestre desde 2006

As vendas de carros e comerciais leves tiveram uma ligeira recuperação em junho, com 166.393 unidades vendidas (alta de 2,6% em relação a maio) e em algumas cidades de São Paulo (veja mais adiante) o número de registros ficou abaixo do efetivamente vendido por causa da greve do Detran. Esse quadro é uma fagulha de esperança para o setor, mas o balanço do semestre revela uma queda dramática das vendas.

Mas no acumulado do ano as vendas tiveram o pior desempenho desde o primeiro semestre de 2006, portanto dos últimos dez anos (veja gráfico).  Foram vendidos de janeiro a junho 951.182 carros e comerciais leves, contra 1.269.912 no mesmo período do ano passado, uma queda de 25,1% sobre o já fraquíssimo ano de 2015.

A primeira metade de 2006 fechou com apenas 817.721 unidades, mas as vendas evoluíram durante os anos seguintes, quando, em plena crise, foram vendidos 1,33 milhão de carros (1º semestre de 2008) e 1,393 milhão (1º semestre de 2009). As vendas continuam evoluindo nos anos seguintes, chegando ao auge em 2013, quando foram vendidas 1,707 milhão de unidades de janeiro a junho.

A greve no Detran pode ter provocado a redução do número de licenciamento em junho. Em algumas do Estado de São Paulo, como Araraquara, Sorocaba e Taubaté, o volume de vendas diárias nesse período caiu 80% e no estado todo a média diária caiu 15%, conforme fonte de uma montadora, segundo a qual há indícios de uma possível relação entre a greve e a baixa nas médias de emplacamento.

“A greve pode ter influenciado no resultado final de emplacamentos do mês de junho, dando a falsa impressão de que a crise no setor piorou e as pessoas não estão comprando, quando, na verdade, pode ter havido sim a venda e o que não ocorreu foi o emplacamento”, considerou o executivo.

A GM fechou na liderança no semestre, com 157.507 unidades e uma participação de 16,6%. A Fiat, em segundo, vendeu 143.760 carros e ficou com 15,1% e a Volkswagen vendeu 126.762 (13,3%).

Na lista das dez marcas mais vendidas não há novidades: a Hyundai mantém a posição conquistada este ano entre as quatro maiores do Mercado: vendeu 95.965 e ficou com 10,1%, deixando pra trás a Toyota (85.468, com  9%) e a Ford (80.721, com 8,5%).

Renault, Honda, Jeep e Nissan, nesta ordem, completam a lista das dez mais vendidas.

 

 

 

 

Uol