Veja repercussão da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna

Veja repercussão da morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna

Morreu no Recife, nesta quarta-feira (23), o escritor, dramaturgo e poeta paraibano Ariano Suassuna, aos 87 anos. Ele estava internado desde a noite de segunda (21) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Português, onde foi submetido a uma cirurgia na mesma noite após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC) do tipo hemorrágico.

Veja abaixo repercussão da morte:

Lya Luft, escritora, em entrevista para a GloboNews
"A Academia está sendo meio devastada, perdemos muita gente boa. Ele tinha uma grandeza, uma efervescência. Ele mostrou o drama, a alegria. O Ariano é desses escritores que a gente lia, admirava, mas adorava conhecer. Ele ainda viajava, ia para o interior, pelo Brasil afora, mesmo com a saúde combalida. Era um grande mestre e um dos grandes patriarcas da nossa literatura. Ele é uma pessoa insubstituível na nossa literatura. Estamos todos de luto."

Luis Fernando Verissimo, escritor, em entrevista para a GloboNews
"Foi mais um golpe, depois da morte do João Ubaldo. Ele era um ícone, um tesouro nacional. Era um ícone da cultura brasileira. O que ele conhecia de histórias do Nordeste, de figuras..."

Zuenir Ventura, escritor, em entrevista para a GloboNews
"É perda demais... Em menos de 15 anos, se vão o mestre João Ubaldo, Ariano Suassuna... Isso para a cultura brasileira, ai ai... É muito choque. Teve um lugar em que ele fez a aula-espetáculo, eu assisti e depois não quis falar. Ele era um show de inteligência. Tudo aquilo que ele propunha no movimento armorial era ele em pessoa. Ele não era só um dramartugo, era um espetáculo em si. A obra dele vai ficar, mas a figura do Suassuna é grandiosa. A aula era uma peça de arte, as pessoas aplaudiam"

Renan Calheiros, Presidente do Senado Federal, em comunicado
"A morte do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna é uma perda irreparável para a cultura nacional. Ao longo de 87 anos, Ariano soube como poucos revelar as nuances da cultura nordestina.  Paraibano, fundou o Movimento Armorial nos anos 70, que tinha como objetivo utilizar a cultura popular para formar um arte erudita. A perda do escritor nos silencia, mas seus livros o eternizam na nossa memória. Em cada peça popular, em cada canto nordestino, Ariano Suassuna, reviverá."

 

G1