Veja pede informações sobre Sheherazade à UFPB

Veja pede informações sobre Sheherazade à UFPB

O professor universitário Carmélio Reynaldo postou nas redes sociais que a revista Veja entrou em contato com a coordenadoria do curso de jornalismo na Universidade Federal da Paraíba (UFPB) procurando informações sobre a jornalista paraibana Rachel Sheherazade, âncora do SBT.

 
Segundo Carmélio Reynaldo, a professora Sandra Moura teria lhe contado sobre o telefonema da Veja a coordenação de jornalismo. Para Carmélio, a Veja deve estar preparando uma reportagem para apresentar a ex-aluna da UFPB como vítima da “censura da ditadura petista", escamoteando os verdadeiros motivos que levam tantas pessoas e entidades a pedirem seu afastamento e punição: a incitação ao linchamento.
 
Para o professor, as pessoas de bom senso precisam se manifestar e repudiar essa tentativa de transformar Rachel  Sherazade  em vítima.Leia, na íntegra, o comentário feito por Carmélio Reynaldo: “A colega Sandra Moura me contou hoje que a revista Veja ligou para a coordenação do curso de Jornalismo da UFPB procurando falar com ex-professores de Rachel Sherazade. Considerando os antecedentes da publicação, deve estar preparando uma matéria para apresentar a ex-aluna como vítima da "censura da ditadura petista", escamoteando os verdadeiros motivos que levam tantas pessoas e entidades a pedirem seu afastamento e punição: a incitação ao linchamento. As pessoas de bom senso precisam se manifestar e repudiar essa tentativa de transformá-la em vítima”.
 
A deputada Jandira Feghali (RJ)  acusa o SBT de ter praticado apologia e incitação ao crime, à tortura e ao linchamento ao exibir comentários da apresentadora Rachel Sheherazade que, segundo a parlamentar, exaltavam a ação de chamados “justiceiros” no Rio de Janeiro contra um jovem de 16 anos, acusado de furto.