Vanderlei não seria nada sem mim, diz ex-padre irlandês de ataque em 2004

Vanderlei não seria nada sem mim, diz ex-padre irlandês de ataque em 2004

Durante a disputa masculina da maratona nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima foi atacado pelo ex-padre irlandês Cornelius Horan quando era o primeiro colocado da prova. Vanderlei foi resgatado pela torcida, mas perdeu ritmo e cruzou a linha de chegada em terceiro lugar.

A demonstração de espírito esportivo valeu ao fundista a medalha Barão Pierre de Coubertin, oferecida pelo COI, além de ser indicado a acender a pira olímpica na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Mas Cornelius Horan não se arrepende do ataque. E nem gostou de ver Vanderlei na cerimônia do Rio.

“Quando eu o vi com meus próprios olhos, eu fiquei com muita raiva”, disse Horan, em entrevista por telefone ao jornal The New York Times “Eu olhei Vanderlei e pensei: ‘Você não estaria em lugar nenhum se não fosse por minha causa'”, completou.

 Excomungado da Igreja Católica, Horan vive hoje em um apartamento pequeno em Londres. Aos 69 anos, o irlandês contabiliza aparições públicas nos últimos anos. Antes do ataque a Vanderlei, por exemplo, invadiu a pista durante do Grande Prêmio da Inglaterra de Fórmula 1; depois, em 2009, participou do “Britain’s Got Talent”, um reality show da TV britânica.Conhecido no Reino Unido por suas manifestações religiosas, Horan não se importa em ser considerado lunático pelo público. Por isso mesmo, garante: não se arrepende de ter atacado Vanderlei.

 

“Assim como meu mestre Jesus Cristo teve que que ser muito agressivo se necessário (…), eu senti que, naquela ocasião (em 2004), eu não tive escolha”, afirma Horan, sem saber explicar o porquê do ataque naquele momento. O ex-padre, porém, afirma ter enviado duas cartas em português a Vanderlei Cordeiro de Lima como pedido de desculpas, mas sem jamais ter recebido resposta.

“É muito triste que ele nunca tenha respondido a meus pedidos de desculpas”, afirmou Horan. “Eu gostaria de conhecer ele e sua família. Mas não tive nenhuma resposta. Eu o condeno por isso. Ele fracassou em cortesia básica e em boas maneiras”, avaliou.

Padre

Cornelius Horan escreveu cartas pedindo desculpas a Vanderlei, sem sucesso