Uso incorreto do enxaguante bucal causa mau hálito e diminui o paladar

Uso incorreto do enxaguante bucal causa mau hálito e diminui o paladar

Na lista de produtos usados para promover a higienização bucal, o enxaguatório é o item que promete eliminar as bactérias que causam a placa bacteriana, a gengivite e a cárie. Segundo a dentista Dra. Alessandra Rodrigues, no entanto, é preciso ficar atenta ao uso exagerado desse tipo de produto. “Os que possuem sabor muito forte, por exemplo, acabam ressecando a boca”, afirma.

De acordo com o cirurgião-dentista Marcelo Rezende, o uso contínuo de produtos com álcool para bochecho acaba inibindo as papilas gustativas, o que diminui o paladar. Além disso, esses enxaguantes desequilibram a flora bacteriana responsável pelo pH da saliva e pelos tecidos da boca, o que pode deixar os dentes amarelos. “O álcool presente nesses produtos de sabor forte também resseca a mucosa e provoca descamação, que resulta na formação de saburra lingual, motivo do mau hálito”, completa Alessandra.

O cirurgião-dentista destaca que, escolhendo os produtos certos, é possível tornar o enxaguante bucal um grande aliado da higienização oral. “Os colutórios – substâncias para enxaguar a boca – à base de clorexidina tem ação antisséptica e ajudam a proteger a gengiva”, explica. Contudo, o especialista destaca que eles não substituem o fio dental e a escovação e que não devem ser usados mais do que uma vez por dia.

Outro enxaguante bucal que pode ser usado é aquele que contém apenas flúor em sua fórmula. “Essa versão do produto ajuda a reduzir o risco de cárie dentária e não oferece prejuízos à saúde bucal”, diz Alessandra, da Sorridents.

Como usar - A dentista explica que o produto não precisa ser usado várias vezes ao dia e que o ideal é que complete a última higienização do dia, antes de dormir. Segundo Alessandra, o bochecho não pode ultrapassar 45 segundos e deve ser usado após o fio dental e a escovação.





Uol