Últimas chuvas aumentaram volume dos açudes do Vale, mas situação de alguns ainda preocupa

Últimas chuvas aumentaram volume dos açudes do Vale, mas situação de alguns ainda preocupa
As chuvas que caíram na região nos últimos dias aumentaram o volume d’água dos principais açudes do Vale, mas ainda é preciso muitas precipitações para a maior parte deles alcançarem uma situação confortável, já que a longa estiagem deixou a maioria dos nossos reservatórios praticamente seca.
 
O Cachoeira dos Alves, que abastece Itaporanga, por exemplo, teve um aumento d'água em torno de 12% com as últimas chuvas e seu volume subiu para 34,9%, o que equivale a 3,7 milhões de metros cúbicos (m3) d’água, mas ainda preocupa por ser um reservatório pequeno e muito demandado.
 
Em situação um pouco melhor está o Piranhas, de Ibiara, hoje com mais de 10,7 milhões de m3. Isso corresponde a 41,7% do seu volume total.
 
 
O Vazante, de Diamante, que comporta 9,09 milhões de m3, foi a 6,7 milhões de m3 depois das chuvas, que somaram quase 200 milímetros em dois dias. Com quase 74% máximo, o açude está numa boa situação hídrica.
 
Em Santana de Mangueira, o volume atual do Poço Redondo passou para 5,2 milhões de m3 (58,6% dos 8,9 milhões do volume máximo do açude).
 
O Pimenta, de São José de Caiana, que pode comportar mais de 255,7 mil de m3, ainda não chegou à metade, mesmo sendo de pouco volume e situado em um dos municípios mais chovidos do estado. Somente em uma noite, foram mais de 150 milímetros (mm), mas o reservatório está com, apenas, 44,6% de sua capacidade.
 
A Aesa não divulgou a atual situação dos outros grandes açudes do Vale, mas eles também devem ter aumentado o seu volume hídrico, principalmente Coremas em função da cheia do Rio Piancó e Aguiar.
 
Conforme a Folha divulgou na última sexta-feira, 20, a Aesa prevê chuvas dentro da normalidade no Sertão da Paraíba para o primeiro trimestre de 2014, podendo alguns municípios chover mais do que outros. Mas sempre esperançoso, o sertanejo espera que as próximas precipitações possam, ao menos, fazer com que os açudes atinjam sua capacidade máxima e garantam um Ano Novo de muita água para todos.
 
 
Fonte: Folha do Vali