Tucano minimiza tese de candidatura própria no PSDB e admite necessidade de aliança com outros partidos

Tucano minimiza tese de candidatura própria no PSDB e admite necessidade de aliança com outros partidos

O discurso de candidatura própria do PSDB ao governo do estado parece estar perdendo força dentro do próprio partido. Esta semana, o líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba defendeu que a legenda precisa refletir o tema junto com os aliados e que não se pode desprezar a articulação com outros partidos.

“O PSDB tem todas as intenções de ter um candidato próprio, porém compreendendo sempre que nós não somos partido único na frente de oposição”, avaliou Cunha Lima ao analisar o tema. O tucano, contudo, enalteceu o nome do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues. “Temos todas as intenções de que Romero seja candidato ao governador, mas nós fazemos de uma união e ela engloba também o PMDB e o PSD. No momento oportuno, tomaremos a decisão”, defendeu.

Bruno é mais um do grupo que sustenta o discurso de “unificar as oposições” e avisou que “quem apostar o seu cacife de que a oposição marchará desunida vai perder a sua aposta”. O tucano ainda aproveitou para alfinetar o governador Ricardo Coutinho (PSB) em relação à possibilidade de candidatura de João Azevedo para o governo.

“A tática do Governo de criar candidaturas que não existem, já se mostrou falida em 2012 e 2016, em João Pessoa e Campina Grande. Da mesma forma vai acontecer, porque é impossível você jogar com o mesmo time, com a mesma estratégia, e vencer”, afirmou. na avaliação de Bruno Cunha Lima, não é o simples fato de ser um indicado do governador que vai fazer com que alguém vá lograr êxito numa eleição.

 

 

 

Blog do Gordinho