TRE barra 28 candidaturas no Distrito Federal; PV lidera impugnações

TRE barra 28 candidaturas no Distrito Federal; PV lidera impugnações

O TRE-DF (Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal) fez, a pedido do R7, um levantamento de todos os políticos que tiveram suas candidaturas impugnadas no Distrito Federal até o momento. Os candidatos ao governo do DF José Roberto Arruda (PR) e Perci Marrara (PCO) estão entre eles. O atual governador Agnelo Queiroz (PT) chegou a ter a candidatura questionada no tribunal, mas venceu a ação e teve seu registro deferido.  

Ao todo, o tribunal julgou até hoje 1.170 processos de registro de candidatura. Destas, 48 ações pediam a impugnação de candidaturas nas eleições 2014 e 28 já foram julgadas procedentes.  

A maioria dos candidatos a deputado distritais impugnados pertence ao PV (Partido Verde), que teve quatro candidaturas barradas, sem possibilidade de recurso. O PSDB, o PPL e o PSDC tiveram dois candidatos a distritais barrados cada um e estão fora de vez do pleito de 2014. O PSL, PTN, PR, DEM, PSC, PHS, PTC, PRP, PSD, PTdoB e PT tiveram apenas um candidato a distrital impugnado, sem chance de recurso.  

Mesmo barrados no TRE-DF, nove candidatos conseguiram o direito de recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), entre eles está o caso de Arruda, que foi condenado em segunda instância pelo TJDFT (Tribunal de Justiça do Distrito Federal), no processo em que é acusado de ter participado do esquema que ficou conhecido como “Mensalão do DEM”. 

Além de Arruda, recorreram TSE Jofran Frejat (PR), candidato a vice-governador pela mesma chapa; a candidata a governadora Perci Marrara (PCO) e seu vice, Gilson Vasconcelos Dobbin; a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN), que tenta reeleição, e os candidatos a deputado distrital Marco Antônio Leal da Silva (PP), Antonio Luiz Dionizio dos Santos (PDT), Fabrícia Tâmara Nóbrega dos Santos (PT), Vandercy Antonia de Camargos (PMDB) e Aylton Gomes (PR).  

Todos os candidatos que recorreram da decisão do TRE podem manter sua agenda de campanha até que se esgotem as possibilidades de recurso. Depois do TSE, eles podem recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal), onde suas candidaturas serão analisadas de forma definitiva.

 

R7