TRE adia julgamento de AIJE de Cássio que pede cassação de Ricardo Coutinho

TRE adia julgamento de AIJE de Cássio que pede cassação de Ricardo Coutinho

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba adiou, nesta terça-feira (20), o julgamento da AIJE das Ambulâncias, que pede a cassação do governador Ricardo Coutinho por abuso de poder político e econômico e conduta vedada por ter usado convênios para doação de ambulâncias em troca de apoio político na campanha para a reeleição em 2014, segundo denúncia da Coligação ‘A Vontade do Povo’, que teve o senador Cássio Cunha Lima como candidato a governador.

Segundo o presidente do TRE, desembargador José Aurélio da Cruz, o processo voltará à pauta na próxima quinta-feira à tarde.

De acordo com a denúncia foram distribuídas mais de 70 ambulâncias, que custaram em torno de R$ 30 milhões, em período eleitoral, o que é proibido por lei.

Acoligação do tucano considerou que a entrega das ambulâncias teve objetivo político e levou o caso para o Tribunal Regional Eleitoral.

“Recebia ambulância o prefeito que apoiasse a reeleição do governador-candidato, numa demonstração clara de uso de poder político e desprezo às necessidades da população dos municípios que dependem do transporte para socorrer seus doentes em cidades com mais recursos de atendimento”, afirmou o advogado Frederico Rego, que integra a equipe de defesa da coligação.

O advogado alega que os autos do processo possuem provas contundentes e cita como exemplo o caso do município de Brejo dos Santos, onde segundo o advogado, o  prefeito Luiz Vieira de Almeida que tinha apoiado Cássio no primeiro turno recebeu uma ambulância logo após ter ficado com Ricardo no segundo.

“Há inclusive vídeo gravado por ele confirmando a doação. A entrega foi feita num evento festivo com direito a carreata, fogos, sirene ligada e presença do governador”, argumenta Frederico Rego.

 

 

MaisPB