Trânsito mata 708 pessoas na Paraíba

Trânsito mata 708 pessoas na Paraíba

Pelo menos 708 pessoas morreram vítimas de acidente de trânsito na Paraíba, somente este ano. Isso porque os dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) da Secretaria de Estado de Saúde (SES) fazem referência apenas ao período de janeiro a outubro e os acidentes ocorridos este mês ainda não entraram nessas estatísticas.

 

Uma das principais causas das colisões é a mistura de álcool e direção. Somente no último final de semana, 29 motoristas embriagados foram flagrados em ações da 'Lei Seca', em João Pessoa. Dois foram presos, segundo a Secretaria de Estado de Comunicação Institucional (Secom-PB).

 

O acidente com morte mais recente, em João Pessoa, ocorreu na manhã do último domingo, no bairro do Bessa. O casal Bruno Bernardino de Sousa, 35 anos, e Priscila Rangel de Melo, 30, estava indo à igreja, por volta das 7h30, em um Siena vinho, quando foram atingidos na lateral do carro por uma caminhonete L200, de cor branca, conduzida pelo bacharel em Direito, João Paulo Barbalho Inácio da Silva, 28 anos.

 

Bruno Bernardino teve morte imediata. Já a esposa foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, recebeu primeiros socorros e foi liberada. João Paulo foi preso e autuado em flagrante por homicídio doloso, segundo o delegado Deusdedit Leitão, titular do Distrito Integrado de Segurança Pública da Paraíba (Disp), em Manaíra. Ele explicou que João Paulo não responderá por acidente de trânsito e sim por homicídio doloso, uma vez que o mesmo “bebeu, assumiu o risco de matar no trânsito e matou”. O acusado teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e por ter curso superior, ele foi transferido, por volta das 12h30 de ontem, da Central de Polícia para uma cela especial no 5º Batalhão de Polícia Militar, instalado no bairro de Valentina.

 

Se não conseguir um habeas corpus, João Paulo ficará preso no local até o dia do julgamento. A transferência do preso foi acompanhada por familiares e por um advogado contratado. A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA tentou manter contato com o suspeito de ter provocado o acidente, mas foi informada pelo comandante do 5º Batalhão, major Paulo Senna, de que João Paulo e seu advogado não querem conceder entrevistas.

 

Na manhã de ontem, no cruzamento das ruas Hortêncio Osterne Carneiro com a Tertuliano de Castro, onde houve a colisão, ainda restavam as marcas da violência, no muro do prédio, onde o carro do casal foi jogado, na calçada e na rua. Nesse mesmo cruzamento, no final da tarde, os moradores do local realizaram uma barricada, em protesto, queimando pneus e outros objetos.

 

De acordo com o subcomandante do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran), major Jucier Pereira, apesar do déficit de agentes para atuar nas fiscalizações da Lei Seca, a mesma é eficiente, mas falta educação doméstica dos condutores.

 

“Os números mostram nossa eficiência nas fiscalizações, mas a quantidade de veículos circulando é muito grande e nós precisaríamos de um efetivo enorme para cobri-los. Nós estamos atuando, mas falta educação doméstica, que, talvez, é o que contribui de forma mais grave para as pessoas cometerem essas irregularidades e desrespeitarem a lei”, afirmou. “O contexto desse crime foi igual ao da defensora pública Fátima Lopes”, completou.

 

O militar orientou a população a contribuir com o trabalho dos órgãos fiscalizadores, a exemplo do BPTran, denunciando, mesmo que anonimamente, através do 190, quando perceber que alguém estava bebendo e vai sair dirigindo. “Isso é um compromisso da população também. Toda sociedade precisa se comprometer para combater essa chaga”, frisou. 

 

Fonte: Nathielle Ferreira