‘Todos lembram, só Manoel Jr. que não’, desabafa Gervásio sobre acordo para presidência do PMDB

‘Todos lembram, só Manoel Jr. que não’, desabafa Gervásio sobre acordo para presidência do PMDB

O deputado estadual, Gervásio Maia, reclamou da postura do deputado federal e presidente municipal do PMDB em João Pessoa em relação a sucessão do diretório e justificou sua postura sobre a candidatura própria do partido na Capital: ‘É muito cedo para garantir qualquer tipo de situação’

Gervásio afirmou que há dois anos foi firmado um compromisso e proposto por Manoel Júnior que ele ficaria na presidência do partido por dois anos e dentro da proposta, chancelada por unanimidade, Maia iria sucede-lo a partir desta semana.

“Todos lembraram e registraram o acordo feito e todos estão lembrados só quem não consegue é o deputado Manoel Júnior, mas vamos para frente, ver qual será a decisão do partido sobre essa questão. Estou desapegado de qualquer interesse próprio e quero o fortalecimento da legenda”, contou.

Para Gervásio, o assunto da sucessão do diretório foi assunto definido pela instância superior estadual. “ela está acima de todos os diretórios municipais. Esse acordo foi pactuado na presença de todos que participaram da reunião na semana passada e vai ser a estadual que vai definir tudo isso e bater o martelo”, afirmou.

Quando? O deputado afirmou que ainda vai conversar com o presidente estadual, Senador José Maranhão, e ele deverá convocar uma reunião para tratar deste assunto.

Maia falou também da necessidade de fortalecer a chapa proporcional e destacou o prazo de filiação que termina em outubro, para que o PMDB possa ter maior representação a partir do ano que vem.

Candidatura própria x aliança - “Quem não defende candidatura própria? Na eleição passada defendi a candidatura de Vital do Rego Filho porque a candidatura era extremamente importante para chegar onde chegamos, se Vital não fosse, alguns defendiam aliança. Se não fosse, não teríamos elegido um senador, três deputados federais e quatro estaduais”, comentou, afirmando que continua defendendo a candidatura própria do partido em todos os 223 municípios do estado.

 

Maia lembrou sua história e afirmou que tem acompanhado as orientações do partido, mas que o cenário só vai ter como se dimensionar no ano que vem. “Está muito cedo para garantir qualquer tipo de situação. Defendo a candidatura própria, mas a minha posição e meu voto em relação ao ano que vem, vai ser feito em momento oportuno”, disse.

 
Para Gervásio, a reunião do PMDB na sexta-feira (10) foi mais um encaminhamento para que o partido possa alferir o que pensa a maioria dos seus integrantes, porém, para ele, nem precisava disso, questionado quem pertence a um partido e não defende a candidatura própria. “O que não podemos fazer é adivinhar qual cenário do ano que vem. Sabemos que essas definições às vezes acontecem na véspera, no dia da convenção. Continuaremos defendendo a candidatura própria, ms nos municípios que não conseguirmos estabelecer, se houver aliança com outros partidos…”, destacou.

 

 

 

 

Marília Domingues / Adelton Alves