TJPB adia decisão sobre liminar e mantém Rosilene Gomes afastada da FPF

TJPB adia decisão sobre liminar e mantém Rosilene Gomes afastada da FPF

O advogado de Rosilene Gomes, Edísio Souto entrou, na tarde desta sexta-feira (2), com Agravo de Instrumento no Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) solicitando a revogação da decisão de primeira instância, que tirou a dirigente da presidência da Federação Paraibana de Futebol (FPF). No entanto, o desembargador João Alves da Silva, já na parte da noite de ontem se manifestou e afirmou que, antes de julgar o mérito, vai se inteirar da análise da juíza Renata Câmara, da 8ª Vara Cível de João Pessoa, que é responsável pela decisão inicial que afastou a dirigente.

A decisão do TJPB mantém, por enquanto, a junta administrativa provisória nomeada por Renata Câmara, à frente do comando da FPF. O desembargador argumentou em sua decisão que a defesa de Rosilene Gomes apresentou como argumento documentos que comprovariam a validade da última eleição da entidade, realizada em 23 de junho de 2010 – principal alvo das investigações.

João Alves da Silva, assim, quer que a juíza “possa dizer se os documentos suprem as exigências por elas elencadas na decisão ou se na sua ótica continua a ser necessária a medida exarada em primeiro grau”.

“Nesse norte de ideias, entendo ser imprescindível, antes da apreciação do pleito liminar, a requisição de informações à magistrada a quo, com base na faculdade prevista no art. 527, IV, CPC, até mesmo para que esta possa dizer se os documentos suprem as exigências por ela elencadas na decisão agravada ou se, na sua ótica, continua a ser necessária a medida exarada em primeiro grau”, diz trecho da decisão do desembargador João Alves da Silva.

Da Redação
WSCOM Online