Tião Gomes retoma atividade no Legislativo e descarta aliança com o PSD

Tião Gomes retoma atividade no Legislativo e descarta aliança com o PSD

Após dez meses afastado do Pode Legislativo com uma licença médica, o deputado Tião Gomes, presidente estadual do PSL na Paraíba, retoma o mandato em fevereiro.

Em entrevista concedida nesta sexta-feira (22), Tião Gomes falou sobre os rumos do seu partido nas eleições de outubro e disse que o apoio ao PSB é incondicional.

 Conforme o deputado, o PSL não é de ficar em cima do muro e vai apoiar o candidato do governador Ricardo Coutinho, o secretário João Azevedo. Tanto é que o partido expulsou o único vereador do partido, Sérgio da SAC, porque divergiu das orientações partidárias e vai apoiar à reeleição de Luciano Cartaxo (PSD).

“O nosso apoio será para João Azevedo. Eu tenho acompanhado o trabalho dele e vejo o seu desempenho em relação à Capital. Devemos ter um candidato que acompanhe o ritmo do governo estadual porque os prefeitos que antecederam Ricardo Coutinho não tiveram a visão de transformar João Pessoa no tamanho que ela é e o atual prefeito, Cartaxo, estagnou com o desenvolvimento da cidade”, avaliou.

Para ele, não adianta a Paraíba crescer e João Pessoa ficar estagnada.  Tião reforçou que João Azevedo na Prefeitura, com o apoio do governador, a Capital vai dar um salto significativo para o crescimento independente.

“Eu quero dizer que nós temos o melhor candidato. Primeiro porque não é político e sim trabalhador e conhece profundamente nossa cidade. Esse é o ponto positivo dele”, destacou.

Sobre seu retorno ao Legislativo, o deputado disse que vai continuar forte na defesa do governo e já começou criticando o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), que acusou Ricardo Coutinho de ter quebrado o Estado e de querer dar ‘calote’ nos fornecedores ao adotar medidas que visam renegociar os contratos com o Estado.

“Cássio não tem moral para vir dizer a Paraíba que Ricardo Coutinho está dando calote. Quem deu calote no povo da Paraíba foi ele porque colocou o servidor nas filas de bancos para receber seus salários. Hoje a estrutura é outra porque Ricardo soube gerenciar as contas do Estado e equilibrou as Finanças”.

O deputado lembrou ainda que Ricardo teve coragem de dizer não a muitas coisas e a Paraíba é um Estado que hoje pode dever porque tem um bom gestor.

“O que Ricardo está fazendo nesse momento será importante para nós. Ele não está tirando de ninguém e com isso mostra ao povo que tem responsabilidade”, pontuou.

 

 

 

Paraibaonline