Tião minimiza adesão a Cássio, mas moverá ação contra Aracilba

Tião minimiza adesão a Cássio, mas moverá ação contra Aracilba

O presidente estadual do PSL, deputado Tião Gomes, minimizou, na noite desta segunda-feira (21), a adesão da ex-secretária estadual de Finanças e candidata a deputada, Aracilba Rocha (PSL), à candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) a governador nas eleições estaduais deste ano. Segundo Tião Gomes, o “apoio de Aracilba a Cássio, não leva nada, pois ela já estava rompida com o governador Ricardo Coutinho (PSB) há cerca de quatro meses”.

“Já faz quatro meses que ela está rompida. Ela agora apenas externou. Ela e Ney tentaram tomar o partido de mim. Ela já estava fora de apoio a Ricardo há três ou quatro meses”, afirmou.

Apesar de minimizar a adesão, o deputado disse que irá acionar a Justiça eleitoral contra Aracilba, pois ela foi contra as decisões do partido, que integra a coligação de Ricardo.

“Nós vamos levar à Justiça. Não vou dizer nada contra, mas ela desobedeceu a uma deliberação do partido. não sei até que ponto isso pode afetar a candidatura dela. Vamos nos reunir na próxima semana e tudo pode acontecer. É uma infidelidade explícita”, sustentou. .

Na manhã de hoje, Aracilba concedeu entrevista coletiva na sede da Associação Paraibana de Imprensa (API) para anunciar o apoio a Cássio e na oportunidade divulgou uma “Carta Aberta” à população, onde explica os motivos do seu rompimento político com o governador Ricardo Coutinho.

Emocionada, ele revelou que foi "perseguida, isolada, ameaçada e humilhada" quando anunciou que seria candidata.

“Ao ousar discordar da determinação, tentaram destruir-me e alijar-me. Foram meses de agonia”, disse.

Em nenhum momento da coletiva, Aracilba citou o nome de Ricardo no seu desabafo.

MaisPB