Teori diz que senador ofereceu R$ 50 mil a Cerveró contra delação premiada

Teori diz que senador ofereceu R$ 50 mil a Cerveró contra delação premiada

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, afirmou nesta quarta-feira 25 que elementos indicam "atuação concreta e intensa" do senador Delcídio Amaral (PT-MS), preso hoje pela Polícia Federal, para evitar a delação premiada do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, que está preso em Curitiba desde janeiro.

A 2ª turma do STF julga nesta manhã o referendo da decisão de Teori sobre a prisão de Delcídio Amaral (PT-MS) e de André Esteves, do BTG Pactual. O banqueiro também seria beneficiado pelo plano de Delcídio, que foi preso sob a acusação de tentar atrapalhar as investigações da Lava Jato ao agir para evitar a delação de Cerveró.

A tentativa do parlamentar tinha como objetivo evitar que seu nome e o de Esteves fossem mencionados aos investigadores. A afirmação de Teori, sobre a "atuação concreta e intensa" de Delcídio Amaral, tem como base requerimento da Procuradoria Geral da República (PGR) encaminhado a ele.

No pedido de prisão de Delcídio Amaral enviado ao STF, o Ministério Público afirma que a conduta do senador seria "obstrutiva de altíssima gravidade". O parlamentar teria prometido a Nestor Cerveró influir nas decisões do Supremo, além de pagamento de vantagem indevida. O relatório foi baseado em gravações realizadas por Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró.

De acordo com áudio interceptado pela PF, o senador teria oferecido até rota de fuga a Nestor Cerveró. Delcídio sugeriu que o ex-diretor da Petrobras fugisse por terra para o Paraguai, segundo a PGR, e depois tomasse um avião para a Espanha. Chegou a indicar a aeronave a ser usada - um jato Falcon 50, para que não precisasse fazer escala.

O advogado Édson Ribeiro, que defendia Cerveró e também foi preso pela PF nesta manhã, estava atendendo a interesses de Delcídio, afirmou ainda o ministro do Supremo. Teori Zavascki declarou também que o senador teria oferecido dinheiro para que Cerveró não fechasse o acordo de delação premiada, além de R$ 4 milhões em honorários ao seu advogado.

André Esteves tinha em seu poder a minuta de acordo de delação de Cerveró, além de canal de vazamento na Lava Jato. Em documento ao STF, a PGR apontou que o banqueiro estaria disposto a obter informações por meios ilícitos para que investigação da Lava Jato não atingisse o BTG Pactual.

Esteves fez uma operação polêmica na área internacional da Petrobras, que era comandada por Cerveró, ao comprar poços de petróleo na África. Ele é também o maior acionista da Sete Brasil, fornecedora de sondas para o pré-sal.

Segundo informações da Agência Brasil, Delcídio, que é líder do governo no Senado, chegou por volta das 8h15 à sede da Superintendência da Polícia Federal em Brasília. No Senado, a Polícia Federal realiza operação de busca e apreensão nos gabinetes da liderança do governo e do senador. A Polícia Legislativa impede o acesso da imprensa ao local.

 

 

Brasil 247