Temer recebe centrais sindicais para discutir propostas para a economia

Temer recebe centrais sindicais para discutir propostas para a economia

O vice-presidente da República, Michel Temer, se reuniu na manhã desta terça-feira (26) no Palácio do Jaburu com integrantes de centrais sindicais para discutir propostas para a economia.

Foram chamadas à residência oficial do vice a Força Sindical, Nova Central Sindical, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB).

Desde as últimas semanas, Temer tem consultado aliados políticos, conselheiros econômicos, parlamentares e representantes de entidades para ouvir propostas para a economia. O vice assume o governo em caso de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O processo, aberto pela Câmara, será decidido no Senado.

Na chegada ao Jaburu, o presidente da Força Sindical, deputado Paulinho da Força (Solidariedade-SP), disse que as entidades levariam um documento a Michel Temer com as propostas para que o país volte a crescer.

"O Brasil está numa crise profunda e o que a gente não pode ver alguns setores quererem se livrar do problema, repassando esses problemas para o Brasil. Não se pode jogar esses problemas da crise econômica nas costas dos trabalhadores. Vamos discutir aqui como o Brasil pode voltar a crescer e a se desenvolver sem que os trabalhadores paguem a conta", declarou Paulinho nesta terça.

Além das centrais, estiveram no Jaburu na manhã desta terça-feira aliados políticos do vice Michel Temer, como o ex-ministro da Aviação Civil e atual segundo-vice-presidente do PMDB Eliseu Padilha, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o presidente do PMDB da Bahia, Geddel Vieira Lima. O encontro com os conselheiros, contudo, ocorreu antes da reunião de Temer com as centrais.

 

Reivindicações das centrais
Um dos integrantes da Força Sindical na reunião, Miguel Torres disse, ao final da reunião no Palácio do Jaburu, que, entre as propostas levadas pelas entidades sindicais ao vice-presidente, estão a taxação de grandes fortunas, taxação de remessa de lucros e criação de impostos para bens de valor.

Segundo o presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, o encontro dos dirigentes sindicais foi solicitado a Temer porque o vice tem recebido representantes de empresários e de bancos, mas ainda não havia se reunido com representantes dos trabalhadores. Neto afirmou que foram discutidos temas como salário mínimo, reforma da Previdência Social e retomada do crescimento econômico.

“Daqui a pouco efetiva a possibilidade de ele assumir a Presidência e nossas castanhas vão ficar fora do jogo”, brincou o presidente da CSB.

O presidente da UGT, Ricardo Patar, ressaltou que, em meio ao encontro, os sindicalistas fizeram um apelo para que, na hipótese de Temer assumir o comando do Palácio do Planalto, seja “estancada a sangria” do desemprego e o desenvolvimento econômico.

Após o encontro com as centrais sindicais, o vice-presidente da República recebeu em sua residência oficial representantes de federações da indústria de estados da Região Nordeste.

 

 

 

G1