Temer recebe 20 deputadas após críticas sobre ministério masculino

Temer recebe 20 deputadas após críticas sobre ministério masculino

Após ser alvo de críticas por montar um ministério sem a presença de mulheres no primeiro escalão, o presidente em exercício Michel Temer se reuniu na manhã desta quinta-feira (19), no Palácio do Planalto, com 20 deputadas de 11 partidos aliados ao seu governo. Atualmente, a bancada feminina da Câmara é formada por 52 deputadas.

Ao final da audiência, a deputada Josi Nunes (PMDB-TO) relatou que, durante a audiência, o presidente em exercício sinalizou que, “um pouco mais à frente”, pretende reformular novamente a Esplanada dos Ministérios e, então, irá nomear uma mulher para o primeiro escalão.

“Eu coloquei [na reunião] que, na mesa de decisão dos ministérios, é preciso ter uma mulher. Ele [Temer] disse que ficará com este grupo de ministros, mas o processo está em andamento. Ele deixou claro que haverá a formação de um novo ministério, um pouco mais à frente, e ele vai trabalhar nesta questão da mulher”, contou Josi Nunes.

“”Sim, ele vai nomear uma representante mulher [para o primeiro escalão]. Ele ainda está formatando o governo. Era preciso diminuir a máquina do governo neste momento para dar uma resposta à sociedade. Mas as políticas para as mulheres não serão paralisadas. Não é porque não há um Ministério da Mulher que teremos uma paralisação ou retrocesso”, complementou a deputada do PMDB.

Na tentativa de contornar o mal-estar gerado com a montagem de um ministério exclusivamente masculino, o peemedebista passou a nomear, nos últimos dias, mulheres para cargos importantes do segundo escalão do governo.

Nesta semana, por exemplo, foram anunciados os nomes de Maria Silvia Bastos para a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), instituição subordinada ao Ministério do Planejamento, e o de Flávia Piovesan para o comando da Secretaria de Direitos Humanos, pasta que ficará vinculada ao Ministério da Justiça e Cidadania.

Temer também chegou a buscar uma mulher para ocupar a Secretaria Nacional de Cultura, que passou a ser subordinada ao Ministério da Educação. No entanto, depois de algumas das mulheres convidadas para a vaga terem recusado assumir o posto, o presidente em exercício deciciu indicar o secretário municipal de Cultura do Rio, Marcelo Carelo, para a secretaria.

Presidência da Câmara
A deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP) afirmou à imprensa que, durante a audiência com Michel Temer no Palácio Planalto, pediu que ele apoie a candidatura de uma deputada para a presidência da Câmara. Segundo ela, esse seria um gesto do presidente em exercício para “trazer a feminilidade para o lado do Congresso”.

Já a deputada Rosângela Gomes (PRB-RJ) disse ter sugerido a Temer o nome da presidente do PMDB Mulher, Fátima Pelaes, para o comando da Secretaria de Política para as Mulheres, vinculada ao Ministério da Justiça.

 

 

 

 

G1