Temer diz que Levy deve ser tratado como 'Cristo' após ajuste fiscal

Temer diz que Levy deve ser tratado como 'Cristo' após ajuste fiscal

  Diante das constantes críticas da base governista e da oposição à atual política econômica, o vice-presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta segunda-feira (8) que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deveria ser tratado como "Jesus Cristo", que foi crucificado, mas obteve posteriormente uma "vitória extraordinária". Na visão do peemedebista, que coordena a articulação política do Palácio do Planalto, o titular da Fazenda não pode ser tratado como um "Judas".

Levy passou a ser alvo de questionamentos – especialmente de integrantes do PT – depois que propôs um pacote de ações de ajuste fiscal para tentar reduzir gastos e reequilibrar as contas da União. Entre essas iniciativas estão medidas provisórias e projetos de lei que, entre outros pontos, alteram o acesso da população a benefícios trabalhistas e modificam a desoneração da folha de pagamento das empresas.

Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo” publicada nesta segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que Levy não pode ser tratado como “Judas”.

 

“Ele [Levy] tem que ser tratado como Cristo, que sofreu muito, foi crucificado, mas teve uma vitória extraordinária e que deixou um exemplo magnífico e extraordinário para todo o mundo. Penso que o ajuste fiscal que o Levy está levando adiante vai representar isso. Em um primeiro momento, parece uma coisa difícil, complicada, mas que vai dar os melhores resultados [para o país]. Menos Judas e muito mais Cristo”, disse o vice-presidente.

No mês passado, ao comentar críticas públicas de senadores do PT à condução da atual política econômica, a própria presidente Dilma saiu em defesa de Levy e afirmou que ele é uma pessoa “de confiança” dela e permanecerá no governo.

Ao chegar ao Palácio do Planalto, Temer afirmou que se reunirá ainda nesta segunda com os ministros Joaquim Levy e Aloizio Mercadante (Casa Civil), além de líderes da base aliada no Senado, para discutir a pauta de votações na Casa. Entre os projetos que devem ser analisados esta semana, está a MP 670, que reajusta a tabela do Imposto de Renda.

Responsável pela interlocução do Palácio do Planalto com o Congresso Nacional, Temer tem se reunido com ministros da equipe econômica e da coordenação política do governo, além de líderes da base, para articular como os partidos aliados votarão projetos de acordo com os interesses do Executivo.

Ainda nesta semana, Temer também se reunirá com líderes da base na Câmara dos Deputados para definir a votação do projeto de lei que altera a desoneração da folha de pagamento das empresas e compõe o ajuste fiscal.

 

 

G1