Temer discute pacote anticorrupção com ministros e líderes governistas

Temer discute pacote anticorrupção com ministros e líderes governistas

O vice-presidente da República, Michel Temer, ofereceu um café da manhã nesta terça-feira (17), em sua residência oficial, para debater com ministros e líderes da base governista na Câmara detalhes do pacote anticorrupção que o governo federal pretende encaminhar ainda nesta semana para o Congresso Nacional. No encontro, que iniciou por volta das 8h30, o vice coletou sugestões dos aliados para a proposta.

O pacote anticorrupção é a principal aposta do Executivo para atender às cobranças de parte da população aos recentes escândalos de corrupção, como o esquema que desviava dinheiro da Petrobras. Após ouvir as sugestões dos deputados federais, o governo se reunirá na tarde desta terça com líderes da base aliada no Senado para debater o projeto.

No último domingo (15), ao final das manifestações que levaram milhares de brasileiros para as ruas para protestar contra a presidente Dilma Rousseff, o governo anunciou que iria apresentar nos próximos dias uma série de medidas de combate à corrupção e à impunidade.

Segundo o líder do governo na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), a reunião desta terça-feira serviu para rearticular a base governista. Ao final do encontro, que durou quase três horas, o petista relatou que os integrantes do governo e os parlamentares discutiram os pontos centrais das medidas que devem ser anunciadas, mas não deu detalhes sobre o pacote.

"É uma reunião que visou fazer uma discussão política do momento e das medidas que vão ser anunciadas. Foi colocado os pontos centrais, ainda não detalhados, do pacote anticorrupção que será anunciado nas próximas horas e também a necessidade da votação do ajuste", contou Guimarães.

Além de Temer e dos deputados federais, participaram do café da manhã os ministros José Eduardo Cardozox (Justiça), Aloizio Mercadantex (Casa Civil), Carlos Gabas (Previdência Social), Pepe Vargas (Relações Institucionais) e George Hilton (Esportes).

No domingo, o titular da Justiça – responsável pela elaboração do pacote anticorrupção – afirmou que parte das propostas que serão anunciadas por Dilma já estão tramitando no Congresso e precisam ainda de aperfeiçoamento.

 

Ajuste fiscal
O líder do Congresso na Câmara comentou nesta terça-feira a reunião que a bancada do PT realizou na noite anterior com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, para ouvir explicações sobre as medidas provisórias que tratam do ajuste fiscal. As MPs ainda precisam de aprovação pelo Congresso.

No final do ano passado, o Executivo editou duas medidas provisórias que, com o objetivo de reduzir gastos públicos, tornaram mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários, entre eles seguro-desemprego e pensão por morte. Antes de serem votadas em plenário, as MPs precisarão ser discutidas em comissões especialmente criadas para esse fim.

De acordo com José Guimarães, ele defendeu no encontro com o ministro da Fazenda que o PT é "peça-chave" para a aprovação das medidas provisórias. Ainda conforme o deputado do Ceará, Levy foi "convincente" ao apresentar aos parlamentares petistas a importância das duas MPs para o reequilíbrio da economia, tanto que, segundo ele, foi aplaudido de pé pela bancada do PT ao final de sua exposição.

"O ministro Levy foi seguro. A bancada [do PT] compreendeu a necessidade do ajuste. Principalmente, ele sinalizou muita segurança. O ajuste é um objetivo estratégico, que é a retomada do crescimento."

Guimarães, entretanto, frisou que, para aprovar as duas medidas provisórias, será necessário abrir um amplo canal de debate. "Evidentemente, dialogando com a sociedade, com as centrais [sindicais] e com o Congresso", ponderou.

 
 

G1