Tárcio fala em conselho para remuneração de servidores e RC promete dobrar piso do magistério

Tárcio fala em conselho para remuneração de servidores e RC promete dobrar piso do magistério

Continuando a rodada de perguntas da sociedade civil, o assunto sorteado foi o Funcionalismo Público e como último candidato, Tárcio Teixeira (PSOL) foi questionado pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde da Paraíba, Wanda Celi e o candidato Ricardo Coutinho (PSB) foi escolhido para retrucar ou comentar.

A presidentes destacou o Plano de Cargos Carreira e Remuneração (PCCR) criado no ano de 2003, mas reclamou que não houve melhorias e questionou as melhoras para valorizar os servidores.

 

Tárcio citou o artigo 39 da Constituição Federal, destacando a criação de um conselho de política de remuneração integrado por servidores destinados pelas instâncias, União, Estados, Municípios e Distrito Federal. “Nós somos os únicos que falam nesse tipo de programa. O PMDB no tempo de Maranhão não implementou, Cássio e Ricardo, que romperam às vésperas do processo eleitoral, também não implementaram. Essa vai ser implementada por nós”, garante.

O candidato também reclamou que tentou fazer uma reunião com o governador Ricardo Coutinho, enquanto funcionário público e não foi atendido e desafiou o governador a participar do fórum da categoria.

Coutinho começou sua réplica afirmando que esse debate passa por ele e contém muitas inverdades, destacou que o seu governo criou a data base para o funcionalismo e criticou: “Antes só havia reajuste quando a Polícia Militar ocupava a praça, fazia passeatas e forçava o governo”, ele continuou e desta vez alfinetou o então governador Cássio Cunha Lima (PSDB). “O ano que houve maior disparidade entre ativos e reformados foi 2007 e quem governava era Cássio. Ele fez um concurso para 11 mil, mas só chamou dois mil”.

O socialista destacou que foi o governo que mais chamou concursados, apontando que está republicanizando a Paraíba que, para ele, era uma terra de oligarquias e ‘difícil de fazer política’. “Criei o 14º e o 15º salário para o professor e profissionais da educação. Os professores foram recebidos sim e negociamos o reajuste acima do piso”, garante.

Finalizando, Coutinho prometeu: “Irei dobrar o piso do magistério nos próximos quatro anos”.

 


Marília Domingues