Supremo diz que pediu reforço de segurança para ministro Teori

Supremo diz que pediu reforço de segurança para ministro Teori

Supremo Tribunal Federal informou nesta quarta-feira (23) que determinou reforço de segurança pessoal para o ministro Teori Zavascki. Houve protesto em frente à casa do ministro, em Porto Alegre, depois que ele decidiu que as investigações sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiam da alçada do juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal, e vá para o STF.

Um grupo de manifestantes pendurou uma faixa em frente ao prédio onde vive o ministro em Porto Alegre. "Deixa o Moro trabalhar", dizia a faixa criticando a decisão de Zavascki. A mensagem foi retirada do local durante a manhã desta quarta.

O STF informou que o reforço da segurança do ministro será feito pela área do tribunal responsável por esse serviço, composta por servidores e funcionários privados. O STF disse ainda que não pediu reforço para a Polícia Federal ou para o Gabinete de Segurança Institucional, ligado à Presidência da República.

O tribunal ainda ressaltou que não confirma que tenha conhecimento de protestos realizados contra o ministro.

 

Decisão desta terça
Na noite desta terça-feira (22), o ministro Teori determinou que o juiz federal Sérgio Moro envie para o STF as investigações da Operação Lava Jato que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Com a decisão, as investigações sobre Lula saem da alçada de Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal. As apurações tratavam, por exemplo, da suspeita de que construtoras envolvidas em corrupção na Petrobras prestaram favores ao ex-presidente na reforma de um sítio em Atibaia (SP) e de um tríplex em Guarujá (SP).

Isso não significa que Lula ganhou foro privilegiado. Ao determinar que o juiz Sérgio Moro mande as investigações sobre Lula para o Supremo, o ministro Teori seguiu a jurisprudência do STF, já que durante a investigação do crime de uma pessoa sem foro privilegiado surgiram conversas com autoridades com foro, como a presidente Dilma e o ministro Jacques Wagner.

Nada foi decidido sobre a posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. Se a nomeação de Lula for validada aí sim ele ganha foro privilegiado automaticamente

 

 

 

 

G1