"Sistema político está apodrecido pelo abuso do poder econômico", dispara Carlos Fernando de Lima, procurador da Lava Jato

"Sistema político está apodrecido pelo abuso do poder econômico", dispara Carlos Fernando de Lima, procurador da Lava Jato
 O procurador Carlos Fernando de Lima afirmou nesta terça-feira, 12, que o “o sistema político-partidário no país está apodrecido pelo abuso do poder econômico”. Durante detalhamento da 28ª fase da Operação Lava Jato, nomeada Operação Vitoria de Pirro, e que levou à prisão do ex-senador GimArgello (PTB-DF), o procurador disse ainda que “a corrupção no Brasil não é partidária”.
 
“O uso do poder é que gera corrupção. O exercício do poder, seja por qual partido for, tem gerado corrupção. E essa corrupção tem como finalidade suprir o caixa de campanhas políticas. Tanto é verdade que esses valores, boa parte, foram encaminhados para partidos da base de apoio desse senador, Gim Argello, entre eles, partidos inclusive da oposição”, declarou Lima.
 
Gim é suspeito de cobrar propina para evitar convocação de empresários a comissões parlamentares de inquérito em 2014 e 2015 instauradas para investigar o petrolão. Para o Ministério Público Federal (MPF), há evidências de que o ex-senador pediu R$ 5 milhões em propina para a UTC Engenharia e R$ 350 mil para a OAS. As duas empreiteiras são investigadas na Lava Jato. Os recursos foram enviados a partidos indicados por Gim – DEM, PR, PMN e PRTB – na forma de doações de campanha.
 
O procurador Carlos Lima afirmou que o esquema de travestir propinas em forma de doações aparentemente legais “já existe e há muito tempo”.
 
 
 
 
 
 
uol