Sessão Especial homenageia Força Expedicionária Brasileira

Sessão Especial homenageia Força Expedicionária Brasileira
A Assembleia Legislativa da Paraíba realizou nesta segunda-feira (2), no plenário Deputado José Mariz, uma Sessão Especial em homenagem aos ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira (FEB). O deputado Buba Germano, autor da propositura, presidiu os trabalhos. O requerimento da sessão foi aprovada por unanimidade em plenário. O deputado Bosco Carneiro também prestigiou a sessão.
 
O deputado Buba Germano, filho do ex-combatente Fausto Germano, justificou a sessão pelo reconhecimento aos heróis brasileiros na segunda guerra mundial. “Na tomada de Monte Castelo o Exército brasileiro teve uma participação efetiva. Então faço essa homenagem com satisfação e para que a gente não perca a história de nosso país, a história desses heróis de guerra”, destacou.
 
Buba lembrou que seu pai, Fausto Germano, passou nove meses na segunda guerra mundial e participou de duas batalhas. “A tomada de Monte Castelo se deu basicamente na baioneta, então os ex-combatentes são heróis e me orgulho. Quando jovem eu tinha uma carteira de filho de ex-combatente que me dava acesso a escolas e outros benefícios. Na carteira estava escrito: orgulhe-se de seu pai, ele é um herói da segunda guerra mundial”, enfatizou.
 
Os trabalhos também contaram com breve depoimento do ex-combatente Genival Máximo de Oliveira, 92 anos, paraibano de Bananeiras que serviu na batalha da tomada de Monte Castelo, na Itália em 1945. Ele agradeceu as homenagens e contou que entrou no Exército no Rio de Janeiro, aos 17 anos de idade. Genival Máximo foi ferido com estilhaços de bala e anos depois foi para reforma como 2º Tenente. “Estou feliz da vida hoje vendo o Exército brilhar com prestígio em todas as Américas. Quero agradecer a todos essa homenagem. Após 71 anos, nem parece que sou eu que estou aqui, emocionado”.
 
O general de brigada Daniel Almeida Dantas, comandante do 1º Grupamento de Engenharia de Construção, leu um texto registrando as conquistas da Força Expedicionária Brasileira que teve mais de 300 mil homens e mulheres. Em combate morreram 454 brasileiros. Mais de 2.000 morreram depois vítimas de ferimentos e tantos outros ficaram com seqüelas. “Os ex-combantes são nossos heróis. Na época, jovens, eles atenderam ao chamamento da Pátria, largaram seus entes queridos e foram para um campo de batalha na Europa e lá derramaram seu sangue pela paz mundial. Então relembrar isto faz com que a gente possa enaltecer a eles e lembrar aos de hoje o sacrifício que eles fizeram no passado”, disse.
 
 
 
 
 
 
 
 
Assessoria