Servidores e professores da UEPB pedem suplementação de R$ 24 mi para acabar greve

Servidores e professores da UEPB pedem suplementação de R$ 24 mi para acabar greve

O aceite do governador Ricardo Coutinho (PSB) a uma proposta de suplementação no valor de R$ 24 milhões pode colocar um fim na greve dos professores e servidores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). De acordo com o professor Nelson Junior, do comando do movimento grevista, é apenas uma possiblidade de encerrar a paralização, pois a suplementação só vai conseguir custear as reinvindicações até o final deste ano.

De acordo com o professor Nelson Junior, a proposta foi elabora na tarde de ontem (29), em coletivamente com a reitoria, representantes dos servidores e professores, a secretária adjunta de educação do estado e os deputados estaduais da base governista, Anísio Maia (PT) e Buba Germano (PSB). Na reunião, ficou definido que ainda na tarde desta terça-feira (29) a pauta de reinvindicações seria apresentada ao governador.

Além da suplementação no valor de R$ 24 milhões, de modo a fazer cumprir a reposição salarial de 6,41%, o que corresponde à inflação de 2014, também consta na proposta a realização de concurso público, a revisão da carreira do docente, a contratação substituta e investimento em infraestrutura para reformas nos campus.

Nelson Junior disse que todos os servidores e professores estão no acordo com a pauta elaborada e aguardam uma de Ricardo Coutinho. "Ele aceitando a proposta na integra, existe uma forte possibilidade de se encerrar a greve, pois antes precisamos realizar uma assembleia geral para tomar a decisão," explicou.  

O reitor da UEPB, Rangel Junior esclareceu que a proposta elaborada não é um pedido da reitoria, mas apenas um relatório de tudo que a instituição está precisando para continuar desenvolvendo suas funções com condições. "A reitoria não está pedindo nada ao governador, o que encaminhamos foram dados, informações técnicas para atender que aquilo que o movimento grevista está propondo, como o reajuste salarial", disse Rangel.

O deputado estadual Anísio Maia (PT) informou que a proposta deve ser analisada pelo governador Ricardo Coutinho ainda hoje. 

 

 

 

Graça Macena