Sem teto: ameaçado de despejo, Banco do Brasil de Itaporanga busca socorro na Justiça

Sem teto: ameaçado de despejo, Banco do Brasil de Itaporanga busca socorro na Justiça
Ocupando um prédio municipal há 13 anos, na maior parte desse tempo sem pagar aluguel, o Banco do Brasil de Itaporanga foi notificado pela Prefeitura a deixar o local até o próximo dia 21, mas entrou na Justiça com um Mandado de Segurança como meio de garantir sua permanência no imóvel.

 

O banco argumenta que, atualmente, não tem previsão orçamentária para construir sede própria em Itaporanga e nem tem local previsto para locar. A agência ocupa o imóvel desde o ano 2000 e até 2011 não pagava aluguel, mas, depois do fim desse comodato, o banco alugou o prédio ao preço de 2 mil reais mensalmente, no entanto, a nova gestão municipal, que assumiu em janeiro do ano passado, rompeu o contrato e deu um prazo para o BB se retirar. A Prefeitura alega que precisa do prédio, onde pretende instalar um projeto educacional.

 

Temendo o despejo, o banco entrou na Justiça para assegurar sua permanência, mas busca outra alternativa de solução para o impasse: a conversa. Conforme a gerência local, a Prefeitura já sinalizou que quer dialogar e tudo pode ser resolvido a partir do aumento no valor do aluguel. O novo contrato, se for fechado, deve ser dentro de um prazo suficiente para o banco reunir condições de construir seu próprio espaço físico para atender seus mais de 15 mil clientes.


Fonte: folhadovali.com.br