Segurança prevê 15 mil manifestantes em atos contra Temer na abertura da Rio-16

Segurança prevê 15 mil manifestantes em atos contra Temer na abertura da Rio-16

Manifestantes planejam para esta sexta-feira (5), dia da abertura da Olimpíada, uma série de protestos contra o governo do presidente interino, Michel Temer (PMDB).

As forças responsáveis pela segurança dos Jogos preveem sete atos espalhados pelo Rio em diferentes horários. Com base em monitoramento de redes sociais, calculam que eles possam reunir quase 15 mil pessoas.

A agenda de protestos começa às 9h, no Maracanã, palco da cerimônia de abertura –e que já estará fortemente protegido, com diversas ruas interditadas no entorno.

Duas horas depois, às 11h, movimentos sociais vão se reunir na praia de Copacabana, zona sul do Rio, em frente ao hotel Copacabana Palace, numa manifestação organizada por grupos como a Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular.

"Esta será uma Olimpíada marcada por exclusão, militarização, remoções e uso desregrado de dinheiro público", afirma Guilherme Boulos, líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e colunista da Folha.

"O protesto tem como objetivo denunciar o governo ilegítimo do país, o risco aos direitos sociais com as propostas levadas a cabo pelo governo Temer e a calamidade olímpica", afirma Boulos.

Outro ato, este da Frente Independente Popular, está marcado para as 14h, na praça Saens Peña, a cerca de dois quilômetros do estádio do Maracanã, cujos portões serão abertos às 16h30 para a cerimônia de abertura.

Há também uma convocação, feita nas redes sociais por um grupo intitulado Brasil Sem Corrupção, para o que chamam de "maior escracho da história".

GRITO

Os organizadores sugerem às pessoas que forem à abertura –e as que assistirem à transmissão do evento– que gritem "fora, Temer" em três momentos: após o Hino Nacional, durante e após o pronunciamento do presidente interino e após a participação da cantora Elza Soares.

"Quem for ao estádio imprima cartazes em folhas A4, leve e distribua para quem estiver ao seu redor. Quem ficar em casa, sobretudo os moradores do Rio, prepare apitos e gritos contra o presidente interino", diz a convocação para o protesto.

Até a noite desta quarta (3), mais de 30 mil pessoas haviam demonstrado interesse em participar.

Com receio de manifestações, o Planalto monitora nas redes sociais os movimentos que articulam os protestos.

Além da preocupação de que os atos atraiam a atenção da mídia internacional, o receio do governo interino é que manifestantes contrários ao peemedebista promovam bloqueios no trajeto das autoridades até o Maracanã.

Para evitar interrupções, as forças militares farão segurança ostensiva na avenida Presidente Vargas, por onde deve passar o comboio das autoridades que sairá do Palácio do Itamaraty, antiga sede da chancelaria brasileira.

HELICÓPTERO

A maior parte dos chefes estrangeiros se deslocará em ônibus, com a exceção dos presidentes do Brasil e da França, François Hollande, e do secretário americano John Kerry, que usarão veículos próprios. Caso o trajeto seja bloqueado, não está descartada a possibilidade do uso de helicóptero.

Com o sentimento de reprovação à classe política em geral, o governo espera que Temer seja vaiado na cerimônia de abertura. Nas palavras de um assessor presidencial, "no Maracanã, vaia-se até minuto de silêncio".

 

 

 

 

Folha de São Paulo