Salários da F1 ultrapassam R$ 600 mi em 2016; Alonso lidera, Nasr é último

Salários da F1 ultrapassam R$ 600 mi em 2016; Alonso lidera, Nasr é último
Normalmente, o atual campeão mundial de Fórmula 1 deveria ter um salário maior do que o 17º colocado no Mundial de Pilotos, certo? Errado! Apesar do péssimo resultado em 2015, tendo somado apenas 11 pontos em 19 etapas em razão das limitações da McLaren, Fernando Alonso ainda é o mais bem pago do grid, com salário estimado em € 36,5 milhões (cerca de R$ 162 milhões) por temporada, de acordo com o site italiano Omnicorse. Já o tricampeão Lewis Hamilton aparece em segundo, com ganhos de € 28,5 mi (aproximadamente R$ 127 mi). Na cola do britânico, em terceiro, Sebastian Vettel fecha o pódio dos vencimentos mais altos, com € 27,5 mi (algo em torno de R$ 122,5 mi).
 
No outro extremo da tabela, Felipe Nasr é quem deve receber menos. Assim como o seu companheiro de equipe, o sueco Marcus Ericsson, o piloto da Sauber teria o salário mais baixo do grid, € 170 mil (R$ 760 mil), de acordo com a publicaçãoEnquanto isso, Felipe Massa, sexto colocado no mundial 2015, deve arrecadar € 4 mi (cerca de R$ 17,8 mi) nesta temporada, sendo o oitavo mais bem pago.
 
Independentemente de quem ganha mais, o fato é que a soma dos salários de 2016 resulta em uma quantia estratosférica: € 149,5 milhões (ou R$ 660 milhões). Vale ressaltar que este número pode aumentar, já que ainda não se sabe quanto Esteban Gutiérrez ganhará na equipe Haas, assim como os ganhos de Jolyon Palmer, novo piloto da Renault, e da dupla da Manor, ainda não anunciada.

 

oi.jpg

180 Graus