Ruy vê hipótese de ser candidato em JP e descarta aliança com PT: ‘praticamente impossível’

Ruy vê hipótese de ser candidato em JP e descarta aliança com PT: ‘praticamente impossível’

Para o presidente estadual do PSDB na Paraíba, Manoel Júnior, a aliança municipal do partido com o PT na atual conjuntura é praticamente impossível e afirmou que ainda não sabe se irá disputar as eleições em João Pessoa ou apenas coordenar as campanhas municipais.


Em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, o presidente afirmou que o clima favorece ao PSDB em todo o Brasil, pois, para ele, as oposições estão fortalecidas e o governo, sobretudo o PT, está enfraquecido. “É fazer o trabalho do partido de lançar o máximo de candidatos a prefeito em todo o Brasil, não só na Paraíba”, diz.


“Em João Pessoa, eu sou uma das opções, estou avaliando também a questão de foro íntimo de coordenar a campanha dos prefeitos no estado fazendo participação nas cidades estadualmente ou se vou disputar a eleição em João Pessoa. Só tem essas duas hipóteses, mas não necessariamente só existe o meu nome, podemos trazer um nome novo para a eleição em João Pessoa”, diz.


Questionado sobre as declarações de alguns setores do PT (a exemplo do deputado estadual Anísio Maia) e do PSDB (como a vereadora Eliza Virgínia) que defendem a aliança com o PSDB em João Pessoa, Carneiro explicou que é importante ser democrático e respeitar as opiniões dentro dos partidos. Lembrando que tem uma boa relação com Anísio, com o presidente estadual do PT, Charliton Machado e com o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, Ruy afirmou que existe uma conjuntura nacional e que esse fato tende a se sobrepor à eleição em João Pessoa. “Mesmo com as boas relações, dificilmente essa aliança vai acontecer”, aponta.


“É legítimo que os vereadores nossos tenham sua opinião, Anísio também e a de Charliton contrária, mas vamos ver o que vai acontecer. Pela sinalização atual essa aliança seria quase impossível”, ratifica.


A respeito de o deputado federal, Manoel Júnior (PMDB) ter votado em Cássio, Carneiro afirmou que este foi um gesto de simpatia e a visita à Convenção foi ‘um gesto educado’, mas lembrando que a prioridade do PSDB é “sempre a candidatura própria”. De acordo com o tucano, se o partido vier a fazer aliança, Manoel Júnior seria o primeiro da fila, “mas vamos ver o que acontece”. conclui.

 

 

 


Marília Domingues / Fernando Braz