Roupas e acessórios feitos com escamas de peixe na PB desfilam na SPFW

Roupas e acessórios feitos com escamas de peixe na PB desfilam na SPFW

 Escamas de peixe que se transformam em blusas, saias e acessórios como colares, brincos, cintos e prendedores de cabelo. Foi usando criatividade e ousadia que um grupo de artesãs que já se tornou celebridade na Praia da Penha, em João Pessoa (PB), participaram hoje do desfile do estilista Ronaldo Fraga, no São Paulo Fashion Week (SPFW), maior evento de moda da América Latina. O grupo de artesãs, batizado de Sereias da Penha, participa de projeto de inclusão produtiva e capacitação desenvolvido pelo Sebrae da Paraíba. 

 

 O trabalho das artesãs fazem parte da coleção do estilista Ronaldo Fraga, um dos mais conceituados do país, que foi contratado pelo Sebrae da Paraíba para uma consultoria em design no fim do ano passado. Para o desfile, batizado de Fúria das Sereias, as artesãs criaram cinco blusas e uma saia totalmente feitas de escamas, além de acessórios, todos desenhados pelo estilista e produzidos em tempo recorde pelas artesãs. O desfile foi intensamente aplaudido pelos presentes ao auditório superlotado.  Duas das artesãs, inclusive, participaram como "sereias" do desfile. 

 

Das 17 Sereias da Penha, 15 assistiram  ao desfile, além de outras 15 pessoas envolvidas neste trabalho, entre elas, representantes do Sebrae Paraíba, da prefeitura de João Pessoa, do Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e da empresa Energisa. A primeira dama da capital, Maísa Cartaxo, também esteve presente.

 

 A gestora de artesanato do Sebrae Paraíba, Sandra Duarte de Carvalho, destacou que o projeto do Sereias da Penha transformou a vida da comunidade local, em todos os segmentos. "Não foi apenas um processo de inclusão produtiva, já que as famílias passaram a ter uma fonte de renda maior com o artesanato, mas também de visão de mundo das artesãs. Elas passaram a enxergar esse trabalho como uma opção de vida e carreira, tanto que estão buscando informações de como essa indústria funciona em locais", contou ela.

 

 De acordo com Sandra, o papel do Sebrae também é promover capacitações na área de gestão dos negócios das artesãs. "É muito importante levar informações sobre itens como formação de preços, fluxo de caixa, atendimento, embalagens dos produtos e logística. Dessa forma, o desenvolvimento dos negócios se torna mais consistente", ressaltou, já vislumbrando um aumento das atividades das artesãs com a repercussão do desfile de Ronaldo Fraga. "Esse desfile deve dar mais visibilidade e impulsionar o desenvolvimento do artesanato das Sereias", disse a gestora. 

 

A aproximação entre Ronaldo Fraga e as pescadoras rendeu ideias novas para sua coleção e acabou abrindo as portas para essas mulheres entrarem no mundo da moda. É o caso de Teresa Cristina Júlio, de 58 anos, que trabalha há dez anos com escamas de todos os tamanhos, da tainha ao camurupim. Antes de entrar no mundo da moda, ela produzia pequenas peças de roupa e decoração em crochê. Há quatro meses descobriu um universo novo ao conhecer o trabalho do estilista, parceiro do Sebrae em outras iniciativas para capacitação de empreendedores de pequenos negócios.

 

 "Sempre acreditei na escama de peixe. Quando o Ronaldo veio aqui na comunidade, descobrimos outro universo e novas possibilidades. Ele é um incrível, muito especial e criativo. Devemos muito ao Sebrae também que acreditou no nosso material", afirma Teresa, que em breve, com o apoio do Sebrae e das instituições parceiras, o grupo deve se organizar enquanto associação para tocar o negócio em duas frentes, uma voltada para uma linha popular e outra com foco nos desfiles.

 

 A artesã Aurisete dos Santos, conhecida como Preta, diz que ficou emocionada ao ver o resultado do seu trabalho exposto na passarela. "Achei o desfile lindo e quase não acreditei quando vi os nossos trabalhos no desfile", afirmou.

 

O estilista Ronaldo Fraga destacou a importância de levar o trabalho das artesãs para a passarela. "Desde os anos 80, eu desenvolvo esse tipo de trabalho, mas eu tinha restrições em levar para os desfiles, porque poderia parecer apropriação. Mas agora eu vi que é importante dar visibilidade ao trabalho dos artesões, para que eles possam se tornar mais conhecidos e ganharem viabilidade comercial", disse.  

 

De acordo com o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto, a moda é um segmento muito amplo e há espaço para novos talentos, basta saber identificar oportunidades. "É importante que o futuro empresário se preocupe com a gestão de seu negócio e isso vai além da capacidade criativa. A moda brasileira já é referência no mundo e as oportunidades de negócios que ela oferece podem e devem ser aproveitadas pelas micro e pequenas empresas de confecção, design, joias e bijuterias, calçados, acessórios, entre outros", salientou.

 

 O Sebrae atende hoje a mais de oito mil empresas no segmento da moda e possui diversas soluções como cursos, consultorias e até aproximação de empreendedores e investidores. A instituição também oferece várias oportunidades para que empresários possam trocar experiências, fazer novos contatos e ter vivência no segmento onde atuam ou pretendem se inserir.

 

 O Movimento HotSpot, uma parceria com o Instituto Nacional de Moda e Design (In-Mod) para buscar, expor e premiar talentos inovadores e criativos em 11 categorias - arquitetura, beleza, cenografia, design,, design gráfico, filme e vídeo, fotografia, ideia, ilustração, moda e música - é um dos exemplos de ações de incentivo ao empreendedorismo desenvolvidas pelo Sebrae.

 

Por meio do convênio com o In-Mod, 17 pequenos negócios do mercado da moda selecionados pelo Sebrae participam da FFW Shop, uma loja conceito da Fashion Week que permite estes empresários mostrarem o seu talento e conhecerem os bastidores do evento. Além da loja, os expositores visitaram marcas como Ellus, 2nd Floor, Alexandre Herchcovitch e Salinas, que integram o Grupo InBrads e assistirão desfiles comentados.

 

 

 

 

Assessoria