Rosas contesta pesquisa e acusa Sistema de estar a serviço de Cássio

Rosas contesta pesquisa e acusa Sistema de estar a serviço de Cássio

Assim como o secretário Luís Torres, o presidente estadual do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas também contestou os números divulgados pelo Instituto IPESP, no Jornal da Paraíba, neste sábado. Rosas, no entanto, foi mais além e insinuou que o Sistema Paraíba de Comunicação estaria a serviço do candidato tucano, Cássio Cunha Lima (PSDB), que aparece em 1º lugar na disputa pelo Governo da Paraíba

“Eles não conseguem esconder o esforço que fazem em favor ao candidato do PSDB e, em consequência, passam a fazer pesquisas para agradá-lo”, afirmou Rosas.

Rosas utilizou ainda a mesma tese do governador Ricardo Coutinho de que pesquisas internas feitas pelo grupo apontavam para outra realidade. E lembrou que as pesquisas sempre erraram na Paraíba.

Para o dirigente, tanto o instituto IPESP quanto o Sistema Paraíba de Comunicação deveriam ser acionados judicialmente. Ele destacou que a estratificação por municípios não levou sequer em consideração a baixa amostragem, o que comprometeria a divulgação.

Edvaldo também lembrou que o IPESP responde à investigação instaurada pelo Ministério Público Federal, que viu irregularidades em pesquisa de opinião pública feita recentemente pela empresa.

“A Justiça Eleitoral não pode permitir que o pleito seja contaminado com pesquisas fraudulentas e que sejam usadas politicamente por sistemas que já fizeram sua escolha política”, disparou.

Além de presidente do PSB, Rosas também é candidato deputado federal. Em 2010 o dirigente alcançou apenas a suplência do cargo.


Redação