Rômulo ratifica apoio incondicional ao projeto político de Ricardo

Rômulo ratifica apoio incondicional ao projeto político de Ricardo

O vice-governador e presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia, ratificou, nesta quinta-feira (13), apoio incondicional do partido ao projeto de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) e classificou como um equivoco as declarações da vereadora Raissa Lacerda (PSD), que ontem fez duras criticas ao governador e insinuou que grupo do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) deve anunciar o rompimento da aliança com o PSB em breve.

Rômulo disse que não tem motivos para romper a aliança com o governador. “O PSD tem uma posição clara de apoio ao governador Ricardo. Não temos motivos para rachar. Isso é uma posição pessoal, isolada da vereadora. Tenho muito respeito à Raissa, mas acho que foi uma posição equivocada”, afirmou.

Rômulo lembrou que na entrevista Raissa disse que o seu grupo tomava decisões colegiadas, ouvindo todos os membros, mas, ao contrário do que pregou, falou isoladamente.

“Ela falou no nós na entrevista, mas falou de forma isolada. O próprio ex-vice governador Zé Lacerda [paia de Raissa] disse que sequer tomou conhecimento”, comentou.

Rômulo também comentou as declarações de Ricardo de que sua presença na chapa majoritária do governo é indiscutível e disse que o posicionamento do governador mostra a força do PSD no governo.

“A presença do PSD na chapa majoritária, ou na manutenção da vice ou na candidatura ao Senado. Minha posição é de ser candidato a Senador. Isso fortalece o partido”, afirmou.

Apesar de não apoiar a postura de Raissa, que é presidente do diretório municipal do PSD em João Pessoa, Rômulo descartou intervenção na executiva municipal da Capital, pois não é necessário, já que quem vai definir os rumos do partido nas eleições é a executiva estadual.

“Não há motivo, por que a eleição é estadual, não faço política com retaliação. Também não é necessário por que quem vai da o comando da posição do partido nas eleições deste ano é da Executiva estadual”, afirmou.

 

Da Redação
WSCOM Online