Rombo nas contas externas sobe 35,44% no mês; no ano, chega a US$ 53,5 bi

Rombo nas contas externas sobe 35,44% no mês; no ano, chega a US$ 53,5 bi

A diferença das transações de mercadorias e serviços do Brasil com os outros países ficou negativa em US$ 4,166 bilhões em outubro, segundo dados do Banco Central divulgados nesta quinta-feira (26). O rombo aumentou 35,44% na comparação com o registrado em setembro (US$ 3,076 bilhões). 

Já em relação a outubro de 2014, quando o resultado ficou negativo em US$ 9,316 bilhões, o rombo nas contas externas diminuiu 55,28%, dando sequência à melhora nas contas externas do país puxada pela balança comercial, em meio ao cenário de recessão econômica e dólar elevado.

De janeiro a outubro, o deficit das transações chega a US$ 53,475 bilhões. O acumulado é menor do que o registrado no mesmo período do ano passado, quando o saldo negativo chegou a US$ 83,379 bilhões. 

No acumulado de 12 meses, o saldo é negativo em US$ 74,2 bilhões, equivalente a 4,02% do PIB (Produto Interno Bruto). Para o ano, o BC estima que o saldo negativo será de US$ 65 bilhões, contra US$ 104,076 bilhões em 2014.

Despesas com viagens têm queda 

Assim como nos meses anteriores, a economia em recessão e o dólar mais forte sobre o real vêm fazendo as importações caírem em ritmo mais acentuado que as exportações.

Num outro reflexo da crise econômica, as viagens internacionais registraram despesas de US$ 549 milhões, 66,4% inferiores ao registrado em outubro do ano anterior, com recuos de 52,7% nos gastos de turistas brasileiros em viagens ao exterior, e de 6,1% nas despesas de viajantes estrangeiros ao Brasil. 

O que são transações correntes

A conta corrente é formada por três itens: balança comercial, conta de serviços e transferências.

A balança comercial é a diferença entre exportações e importações. As transferências consideram os recursos enviados por brasileiros que moram no exterior.

A conta de serviços e rendas une fluxos de entradas nas diversas modalidades de empréstimos externos e de saídas para o pagamento de juros, remessas de lucros e de serviços em geral (como viagens e transportes). 

Desde abril, o BC passou a divulgar as estatísticas externas sob nova metodologia internacional. Por ora, os dados da série história foram revisados até janeiro de 2014.

Correção: diferença das contas em relação ao resultado de outubro de 2014 originalmente estava errada, mas foi corrigida.

 

 

(Com Reuters)

UOL