Romário diz que 'há interesses por trás' de convocações da Seleção

Romário diz que 'há interesses por trás' de convocações da Seleção

Responsável pela CPI do futebol, instalada neste ano no Congresso Nacional, Romário segue sem hesitar ao comentar as questões que envolvem o esporte no Brasil. Em entrevista ao jornal italiano "La Gazzetta dello Sport", publicada nesta terça-feira, o ex-jogador e atual senador pelo Rio de Janeiro afirmou "há interesses por trás" das convocações da seleção brasileira. 

- Os problemas são refletidos nas convocações. Dunga é meu amigo, mas não é a sua hora. Não convoca-se mais os melhores, há interesses por trás. O diretor é Gilmar Rinaldi, que, até um dia antes de sua nomeação, era um agente de jogadores. Uma provocação! Você viu a convocação? Todos pertencem aos empresários que lucram com convocações. É evidente para todos.

Romário se referiu aos resultados da Seleção na Copa do Mundo e Copa América como "um desastre", alegando que os jogadores têm sido afetados pelo momento político turbulento envolvendo a confederação. Questionado se Dunga tem sua autonomia comprometida no comando do time nacional, foi taxativo:

- A 100%. Eu acho que ele nem mesmo faz convocações como ele gostaria. Dunga está envolvido nessa sujeira da CBF. Eu não sei se ele está sujo, se participa, mas está vendo tudo. Não é nem cego nem estúpido. O que está acontecendo não é bom, e ele está participando. Não deveria voltar como treinador, não é mais seu tempo desde que perdeu a Copa do Mundo de 2010. A era pós-Scolari era uma oportunidade para renovar o ambiente.

O ex-atacante afirmou que Ronaldo "não é realmente capaz" de se tornar presidente da CBF porque ainda não teria definido sua posição. Seu escolhido seria seu companheiro no título mundial de 1994 Leonardo, que trabalhou como diretor em treinador no Milan e PSG.

- Ele sim seria adequado. Entre os ex-jogadores, o colocaria como o primeiro da lista, mas isso não significa que assinaria sua candidatura.

Crítico ferrenho de Joseph Blatter, o senador afirmou que "reza todos os dias" para que o presidente da Fifa seja preso e mostrou pouca confiança em uma possível gestão de Michel Platini no comando do futebol mundial, dizendo que "não há nada de positivo em sua maneira de administrar" a Uefa. Romário não considera Zico preparado para o cargo, mas o apoiaria.

- Quando Zico se tornou candidato, eu disse que era uma opção positiva, mas acho que não está preparado. Não corrupto, com certeza. Votaria nele. Mas não terá nenhuma chance. A CBF não o apoia - disse.

 

 

 

Globo Esporte