Rio de Janeiro, Governo confirma que Exército ocupará o Complexo da Maré

Rio de Janeiro, Governo confirma que Exército ocupará o Complexo da Maré

O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, anunciou na tarde desta segunda-feira que a ocupação do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, será feita por homens do Exército. Segundo Beltrame, a ocupação servirá de preparação para que uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) seja instalada na região.

- Essa é a nossa resposta para o tráfico. Vamos fazer com que eles percam território - disse o secretário.

Mais cedo, o governador Sérgio Cabral já havia informado que tropas federais iriam atuar no Complexo da Maré. O efetivo que vai ocupar as comunidades ainda não foi definido, mas a ocupação será por prazo indeterminado. A decisão foi tomada após uma reunião de Cabral com autoridades nacionais para definir uso das tropas nas favelas do Rio.

- Pedimos ao governo federal GLO (Garantia de Lei e Ordem) para o Complexo da Maré, uma área estratégica do ponto de vista de segurança. Em breve teremos o BRT Transcarioca, é próximo do Galeão. É uma área sensível - disse o governador, que afirmou ainda que os detalhes técnicos ainda estão sendo decididos:

- O efetivo e os detalhes técnicos ainda estão sendo definidos pelos especialistas em segurança do governo estadual e federal. Esse é um passo decisivo na política de avanço da Segurança Pública no Rio.

Sem prazo para sair

Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, não há prazo definido para a permanência das tropas no Rio. Ainda de acordo com Cardozo, serão utilizados homens da Polícia Rodoviária Federal, da Força Nacional e das Forças Armadas:

- Eles vão permanecer o tempo necessário. O que eu posso dizer é que essa é uma ação definitiva. A ideia é o atendimento da necessidade - disse o ministro, que falou sobre os planos de segurança da Copa:

- O legado da Copa será de colaboração entre os entes federativos. Juntos, nós somos mais fortes. Diferenças políticas ficam de lado quando há necessidade da população. O interesse público é maior.

A reunião aconteceu no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, e durou cerca de duas horas. Além de Cabral e Cardozo, participaram do encontro o chefe do Estado-Maior, general José Carlos de Nardi; o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, o chefe de Polícia Civil, Fernando Veloso, o chefe de estado Maior Operacional da PM, Paulo Henrique Moraes, além do comandante das UPPS, coronel Frederico Caldas e outras autoridades nacionais. Na reunião foi apresentado um plano de uso das tropas federais nas comunidades do Complexo da Maré.