Ricardo nega que seja truculento e responde porque fez aliança com Cássio: ‘eu me alio, não importa a quem, para fazer o bem’

Ricardo nega que seja truculento e responde porque fez aliança com Cássio: ‘eu me alio, não importa a quem, para fazer o bem’

O governador Ricardo Coutinho, candidato a reeleição pelo PSB, negou críticas que seja truculento. Para isso, o socialista fez comparação com governos passados. Referindo-se ao ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB).

“Você lembra qual era a paz entre 2006 e 2009 (anos do governo Cássio)? Seis greves na educação. Não se pagava o piso, não tinha diálogo. Houve uma grande greve na policia militar. Descaso e desmando na saúde, fila da morte dos bebes cardiopatas, o hospital de Trauma sem condições de poder funcionar. A ausência de medicamentos, inclusive aqueles determinados pela Justiça. O que o adversário tem é uma grande conversa. Mas nem só de conversa gira o mundo. Efetivamente o meu adversário não tem o que mostrar, ele vai mostrar o quê no Curimatau, no Cariri”, pontuou.

Para Coutinho, Cássio jamais quis a vitoria do seu governo. “Não é a vitoria eleitoral, mas a vitoria administrativa (ele nunca quis). Sem dúvida temos uma forma de administrar e ver a coisa publica diferente”, argumentou.

Questionado sobre o que o levou a fazer uma aliança com Cássio, já que tem feito tantas críticas ao tucano, o governador saiu-se:

“O principal motivo para a aliança: Eu me alio, não importa a quem, para fazer o bem. Se você tiver alguma crítica a minha trajetória, tudo bem. Mas estamos dentro de um sistema eleitoral completamente desigual. Tenho compromisso de apoiar uma constituinte exclusiva para a reforma política. Eu me alio não importa com quem para fazer o bem, e vou continuar dessa forma, contanto que eu continue nessa mesma caminhada para fazer o bem ao povo”, finalizou.

 


Paulo Dantas