Ricardo fala pela primeira vez sobre divórcio e diz como nascimento do filho mudou sua vida

Ricardo fala pela primeira vez sobre divórcio e diz como nascimento do filho mudou sua vida

O govenador Ricardo Coutinho (PSB) não é afeito a exposição de sua vida particular e evita tratar de temas pessoais, mas em uma entrevista descontraída ao jornalista Abelardo Jurema na Granja Santana, Ricardo abordou temas além do político e do administrativo. O governador falou pela primeira, embora que rapidamente, sobre o divórcio com a jornalista Pâmela Bório e destacou como o nascimento do filho do casal, Henry, mudou sua vida.

Sobre o divórcio, Ricardo, como era se esperar não se aprofundou no assunto, mas demonstrou que o fato não impactou muito sua vida. “Sem ter relação com o caso, mas o casamento não quer dizer necessariamente que você esteja acompanhado”, disse ele comentando como está a vida de recém separado.

Ricardo revelou ainda que mantém a guarda do filho Henry compartilhada com a mãe, cada um ficando com o garoto por dois dias. “É importante para que ele mantenha a convivência com o pai e com a mãr”, destacou.

Se o fim do casamento parece não ter impactado muito a vida do governador, a chega do filho foi totalmente o contrário. Ricardo lembrou que tem um filho, Rico Coutinho, com 26 anos e que foi pai pela segunda vez com 50 anos, o que lhe caracteriza com uma espécie e pai/avô.

“A criança de uma forma geral me sensibiliza muito. Quando eu chego num lugar que tem criança eu fico muito sensibilizado e com um filho então! Além disso, ele é uma criança muito esperta”, revelou Ricardo, fazendo questão de frisar que a sensibilidade se dá apenas no campo pessoal e que o político e gestor continua determinado a enfrentar os desafios de governar um estado como a Paraíba, mesmo que para isso, tenha que se indispor com algumas pessoas.

O governador revelou ainda que dorme muito tarde todos os dias, aproveita a noite para trabalhar e que as decisões mais importantes para o seu governo, são tomadas na cama, tendo apenas o travesseiro como o conselheiro.

 
 
 
 


Da redação