Ricardo Coutinho não pretende esperar por muito tempo a 'boa vontade' do governo central

Ricardo Coutinho não pretende esperar por muito tempo a 'boa vontade' do governo central

Não é oficial, mas o governador Ricardo Coutinho (PSB) deverá usar a estratégia do "distanciamento" da presidente Dilma Rousseff, cujo governo não tem correspondido a expectativa da Paraíba, sobretudo com o aceno para a liberação de recursos dos empréstimos que dependem do aval da presidência da República. RC tem assumido as dores dos ataques da oposição, em especial do maior crítico e senador paraibano Cássio Cunha Lima (PSDB).

Coutinho pode mudar a estratégia nos próximos dias, saindo da defesa do Planalto e cruzando os braços para os ataques. Percebeu que não está valendo a pena, até mesmo batendo de frente com o PSB nacional, prestes a anunciar posição favorável ao impeachment da presidente da República. O governador da Paraíba está se mantendo distante a tudo que vá de encontro ao Palácio do Planalto.

Tudo porque a defesa exacerbada do governo central não está surtindo efeito desejado. Uma das queixas a não liberação dos empréstimos que dependem do aval presidencial, mesmo que já tenha obtido a delegação do Congresso Nacional, também todos os tramites legais. Falta apenas ser liberado pela União. Isto desde o ano passado.

Para prosseguir com os investimentos nas obras na Paraíba, o governador Ricardo Coutinho está precisando da liberação dos recursos na ordem de R$ 1,5 bilhão. Em recente declaração, Ricardo mandou o recado de que não vai agüentar por muito tempo. Afinal, os problema daqui para frente são maiores e exige uma tomada de posição urgente do governador.

 

 

 


Marcone Ferreira